#Michel Temer, presidente em exercício no Brasil, está mostrando um lado diferente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada #Dilma Rousseff. Temer está mostrando ao povo um governo de grande preocupação em não elevar os ânimos negativos do povo.

A exoneração do ministro Romero Jucá, a recriação do Ministério da Cultura e mudanças na rota da política são fatos relevantes que diferencia Temer de Lula e Dilma. Se Romero Jucá continuasse ministro depois de todo esse indício de possível obstrução da Operação Lava Jato, no qual ele foi pego nas "escutas telefônicas", o governo Michel Temer poderia ter decretado seu fim.

Publicidade
Publicidade

A atitude de Temer impediu a reação negativa de milhões de brasileiros, que já estão cansados de serem enganados por tantos políticos corruptos que só pensam em se enriquecerem com dinheiro público. O presidente interino teve ao seu lado um homem que poderia explodir um governo que mal começou. Todo corrupto merece cadeia e a escolha de Jucá para o coração do governo Temer foi uma aposta de alto risco, o que ocasionou num grande "mal estar" dentro do Palácio do Planalto, com as investigações adquiridas nas "escutas telefônicas".

Lava Jato

Atualmente o país é redesenhado pela Lava Jato, não existe salvação para políticos que protegem bandidos e delinquentes. Na Esplanada dos Ministérios do governo Temer há muito perigo que precisam ser descobertos e removidos antes que o governo caia na mesma sujeira que Dilma e Lula apoiaram e presenciaram.

Publicidade

Em episódios semelhantes, Dilma e Lula preferiram disfarçar do que evitar que a #Corrupção invadisse e tomasse conta dos atos e decisões dos partidos, principalmente o Partido dos Trabalhadores.

Agressões

Michel Temer deu uma entrevista, nesta terça-feira (24), dizendo que seu governo está sendo vítima de "agressões psicológicas". Temer afirmou à aliados que eles não devem dar atenção aos questionamentos da oposição. De acordo com Temer, "os adversários políticos querem amedrontar o governo, mas isso não será nenhum problema para nós", disse Temer, vamos lutar para construir um Brasil melhor.