A operação Custo Brasil levou para à cadeia, o ex-ministro todo poderoso do governo Lula, Paulo Bernardo. E que depois também foi o ex-ministro do governo Dilma. Ele que comandou as comunicações no governo Dilma, enquanto a mulher dele Gleise Hoffman era a primeira ministra chefe da Casa Civil. 

Motivo da prisão de Paulo Bernardo

A Polícia Federal e o Ministério Público Federal, depois de um longo período de investigações, descobriu que ele armou um esquema, no Ministério do Planejamento, para roubar dinheiro de idosos endividados, e encher o bolso dele e do #PT (Partido dos Trabalhadores).

Entenda como funcionava o esquema

A organização criminosa tinha pessoas que estavam do primeiro até o terceiro escalão no Ministério do Planejamento.

Publicidade
Publicidade

Paulo Bernardo direcionou a contratação de um empresa chamada Consiste (empresa de software), para que participasse  do esquema.  Essa empresa que administrava os empréstimos consignados.

De todo o dinheiro que passava pela empresa, 70% era desviado, para Paulo Bernardo, Alexandre Romano e para o PT. Alexandre Romano é um vereador que foi preso, e fez um acordo de delação premiada, na qual entregou os esquemas que levaram a Paulo Bernardo.

A estimativa é que o esquema roubou R$ 100 milhões de reais, o qual era, quase em sua totalidade (80%), investido no PT. Alexandre Romano tinha o seu lucro no esquema, a porcentagem de 20%.

Esse dinheiro passava por escritório de advogacia em Curitiba, de um advogado chamado Guilherme Gonçalves. Ele atuou por muito tempo para o casal Paulo e Gleice. O advogado tem um mandado de prisão, porém a PF (Polícia Federal) ainda não o localizou, pois o mesmo está em Portugal, para comemorar o seu noivado.

Publicidade

Ele tem cidadania portuguesa, com isso, não se sabe se ele irá voltar.

Nesse escritório, o dinheiro era lavado e, depois Paulo Bernardo recebia. Segundo as investigações, Bernardo recebeu R$ 7 milhões.

Quem definia os valores era João Vaccari Neto (ex-tesoureiro do PT) que já está preso. 

Paulo Ferreira, também ex-tesoureiro do PT, tem um mandado de prisão contra ele. #Corrupção