Nesta quarta-feira, 15, o deputado estadual Flávio Bolsonaro acionou a polícia por crimes cometidos contra a honra de seu pai, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Além de deputado no Rio de janeiro, Flávio também é advogado.

Motivação

O político decidiu registrar dois boletins de ocorrência após o jornalista do Globo, Ricardo Noblat, publicar uma foto-montagem de seu pai caracterizado como o líder nazista da segunda guerra mundial, Adolf Hitler.

O Partido Comunista do Brasil também responderá na polícia civil e na #Justiça por ter publicado uma foto do terrorista homossexual Omar Saddiqui, que matou dezenas de pessoas na boate gay Pulse no último fim de semana.

Publicidade
Publicidade

Na referida publicação, a página oficial do partido comunista afirma que se o terrorista fosse brasileiro, a foto de seu perfil seria uma com o logo de apoio à Bolsonaro, deixando subentendido que os seguidores do deputado, bem como o próprio Jair são intolerantes e apoiadores do ato repudiável e desumano cometido pelo muçulmano.

Flávio divulgou o vídeo em sua página oficial do Facebook, juntamente com seu pai e seu irmão, o deputado federal (PSC-SP), Eduardo Bolsonaro. O deputado deixou claro que evitam processar jornalistas, mas o ato cometido por Noblat foi muito grave e não tiveram outra saída.

Alvo da esquerda

Com o crescimento na popularidade de Jair Bolsonaro, o deputado tem sofrido alguns ataques por parte da esquerda no Brasil. Além de atritos já conhecidos na #Câmara dos Deputados, Jean Wyllys e o senador Lindbergh Farias não perdem a oportunidade de fazer comentários maldosos sobre o político.

Publicidade

Atualmente Jair Bolsonaro é o único político considerado de direita no Brasil e nunca foi mencionado em nenhum #Crime de corrupção, o que faz com que sua popularidade em uma época de crise política seja cada vez maior.

Seus projetos políticos também vão na contramão do que a esquerda apoia, uma vez que Jair defende penas rígidas para criminosos, valorização e preservação da família e a valorização das polícias e forças armadas no país.