Uma declaração do senador Roberto Requião (PMBD-PR) nessa quarta-feira (8) pode cair como uma bomba na Comissão de #Impeachment no Senado e inverter um quadro que parecia tranquilo e favorável para aqueles que defendiam o afastamento definitivo da presidente petista Dilma Rousseff.

Segundo o senador paranaense, um grupo de 30 senadores, estupefatos com os últimos acontecimentos na política brasileira, convergiram na tese de novas eleições direitas num jantar realizado na noite de terça-feira (7).

“Num jantar que tive essa noite com 30 senadores, estupefatos com os últimos acontecimentos, convergimos para eleições diretas muito logo.

Publicidade
Publicidade

Povo decide!”, postou o senador paranaense em sua página pessoal na rede social Twitter.

Número de senadores supera o necessário para encerrar processo de impeachment no Senado

O número anunciado pelo senador Roberto Requião, caso seja confirmado na votação decisiva, irá superar os 27 votos necessários para encerrar o processo de impeachment no Senado e trazer de volta #Dilma Rousseff ao cargo de presidente.  

A notícia pode dar novo ânimo aos políticos de oposição que defendem o retorno da presidente Dilma Rousseff. Lembrando que na votação realizada no dia 12 de maio, que decretou o afastamento de Dilma Rousseff da presidência por até 6 meses, o placar fechou com 55 votos de senadores favoráveis ao impeachment e 22 votos contrários.

Requião, apesar de ser do PMDB, critica modelo econômico de #Michel Temer

Apesar de pertencer ao mesmo partido do presidente interino Michel Temer, o PMDB, o senador Roberto Requião é um crítico declarado do modelo econômico adotado por Michel Temer e por sua equipe de governo.

Publicidade

A posição política defendida pelo senador paranaense é a posição chamada de “núcleo desenvolvimentista”. Um grupo de políticos no Congresso que defendem que a saída para a grave crise econômica do país é a de investir na produção para fortalecer a economia ao invés da especulação rentista do mercado financeiro adotada pela equipe econômica de Temer.