Se o presidente interino #Michel Temer acha que vai conseguir limitar os passos da presidente afastada #Dilma Rousseff, parece que vai ter que divulgar muito uma agenda positiva de seu governo. Começou no dia 28 de junho uma campanha para arrecadar fundos para pagar o deslocamento de Dilma pelo país com o intuito de alardear, combater o 'golpe'.

A presidente afastada tem quase dois meses para turbinar sua agenda, pois o julgamento final do processo de impeachment deve ser julgado depois das Olimpíadas, a partir de 26 de agosto, segundo o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) ministro Ricardo Lewandowski

Dilma Rousseff afia o discurso de que não cometeu as pedaladas fiscais, avalizada pela perícia do Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

E conta ainda com discursos da oposição de que o impeachment é muito mais por causa da crise política, como comentou em uma entrevista a senadora Rose de Freitas, do PMDB. A arrecadação que está no site Catarse (Plataforma de financiamento coletivo) já ultrapassa mais de R$ 72 mil em 5 horas com meta de R$ 500 mil. Intitulada de Jornada pela Democracia - Todos por Dilma, idealizada pelas amigas de Dilma, Celeste Martins e Guiomar Lopes: "Achamos importante abrir uma conta na qual as pessoas pudessem fazer doações e haver disponibilidade de recursos que a presidenta pudesse usar para as suas viagens", disse Guiomar no site do projeto.

Essa é mais uma aposta de Dilma e do #PT para contrapor a agenda positiva que o presidente interino Michel Temer está tentando impor, como o aumento de 12,5% do Bolsa família e o desbloqueio de R$ 742 milhões para a Educação.

Publicidade

Enquanto a Lava Jato volta a mirar o Partido dos Trabalhadores, Temer vai governando com a certeza do impeachment de Dilma. E Dilma com a certeza de que não cometeu crime de responsabilidade, que lutará contra o retrocesso e do avanço das agendas conservadoras para reaver o seu mandato.

A defesa de Dilma no Senado continua forte. O PT acredita que há senadores indecisos que podem garantir o retorno da presidente. Na televisão, Dilma ainda não deu entrevistas às grandes emissoras, o que seria importante para esclarecimentos, já que é um processo de interesse do Brasil e o governo interino vai tendo a sua disposição toda a máquina governamental.