Uma pesquisa realizada pelo Ibope, com intenções de votos para a prefeitura de São Paulo, divulgada nesta terça-feira, 21, tem como líder o deputado federal Celso Russomanno (PRB), com 26% das intenções de voto. Na segunda colocação aparece a senadora Marta Suplicy (PMDB), com 10%, seguida pela Deputada Luiza Erundina (PSOL), com 8%. 

O atual prefeito petista, Fernando Haddad, aparece com 7%, em seguida o candidato pelo PSDB João Dória, foi mencionado, com 6%, seguido pelo vereador do PSD, Andrea Matarazzo e o deputado federal Marcos Feliciano (PSC), com 4%. O Delegado Olin (PP) aparece com 3%, já os deputados Major Olimpio (SDD) e Roberto Tripoli (PV) aparecem com 2%.

Publicidade
Publicidade

Como a margem de erro é de quatro pontos percentuais, para cima ou para baixo, estão tecnicamente empatados..

A pesquisa foi encomendada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo (SETCESP) e foi realizada entre os dias 16 e 19 de junho. Foram entrevistadas 602 pessoas.

Fernando Haddad é líder em rejeição com com 46%, Marta Suplicy, 42%, Marcos Feliciano, 31%, Erundina, 29% e Russomano, 22%.

Análise

Celso Russomanno, em 2012, também surgiu como favorito nas pesquisas, mas perdeu força durante a eleição, ficando fora do segundo turno. Marta Suplicy sempre teve uma alta rejeição, mas sempre foi um nome forte do PT para segundo turno. Sua posição radical a favor do impeachment de Dilma Rousseff e sua veemente defesa de Michel Temer, parece trazer prejuízos para a senadora, perdendo votos da esquerda e rejeitada pela direita.

Publicidade

Fernando Haddad sofre com sua falta de habilidade política, mas, na campanha, pôde mostrar seu trabalho à frente da prefeitura.

Redução da velocidade nas ruas e avenidas

  • 51% aprovam;
  • 46% desaprovam.

Implantação de ciclovias e ciclofaixas 

  • 51% aprovam;
  • 44% desaprovam.

Quem surpreende é Luiza Erundina, que já foi prefeita pelo PT, e que promete ser representante da esquerda e mira votos de petistas, por achar que Haddad não fez uma defesa forte contra o impeachment. O PSDB terá que trabalhar muito com João Dória, que sofrerá muito desgaste com o apoio do governador Geraldo Alckmin. #Eleições #Eleições 2016