O arquiteto Clóvis Smith Hays Júnior tem uma página no Facebook com mais de 34 mil seguidores no qual é chamado de "gay de direita". Ele apoia a candidatura de um candidato polêmico. No começo de sua fala sugere: "Esse vídeo vai ser sobre uma pessoa ilustre, sobre uma grande figura. É um deputado federal chamado Jair Messias Bolsonaro." O que diferencia Clovis quanto a outros internautas apoiarem Bolsonaro é o fato dele ser gay e se colocar contra o que chamam de "feminazis", a agenda LGBT, "kit gay" e se mostrar a favor do capitalismo e de Trump.

Está aumentando o número de homossexuais que estão apoiando Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e se identificando mais com as propostas de Bolsonaro do que com o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é homossexual assumido no Congresso Nacional.

Publicidade
Publicidade

Além da página de Clóvis, muitas outras também demonstram apoio a Bolsonaro, como "gays por Bolsonaro", que tem o intuito de mostrar que o movimento LGBT não é apenas um movimento ligado ao esquerdismo. 

Outro membro de um página do Facebook direitista é Júnior Oliveira,que tem 31 anos. Ele acredita que o Brasil precisa de uma "reviravolta" na política e que para escolher um candidato é a partir de seus princípios políticos, independente da escolha sexual.

Um dos motivos de Jair Bolsonaro ter muitos adeptos é que ele defende a castração química, porte de armas e pena de morte, avalia Júnior. 

Bolsonaro e polêmicas

Bolsonaro já fez declarações polêmicas a respeito dos homossexuais dizendo que eram "fruto do consumo de drogas" e "ter filho gay é falta de porrada". Porém, para os participantes de comunidades das redes sociais, essas declarações já ficaram no passado.

Publicidade

O coordenador do Movimento Brasil Livre disse que Bolsonaro já se retratou e reconheceu que há homossexuais que se relacionam sem afrontar a sociedade, de maneira pacífica. 

Clóvis acredita que Bolsonaro errou em suas afirmações e que, talvez, tenha comparado gays com ativistas. Para Clóvis, Bolsonaro é muito melhor que Jean Wyllys, pois é uma pessoa muito mais dócil e amigável. 

Jean Wyllys

Cresce as críticas ao deputado gay, pois muitos o consideram agressivo e exagerado ao defender causas ligada ao movimento LGBT. Acreditam que a forma como ele cuspiu em Bolsonaro e o fato de usar uma camisa de Che Guevara causa repúdio, e  apoiar partidos de esquerda que gostam de países como a Rússia é contraditório, pois esses países perseguem os homossexuais, avalia o coordenador do Movimento Brasil Livre.  #Governo #Crise no Brasil #Câmara dos Deputados