Nesta quarta-feira, dia 01, o advogado de defesa de Dilma, José Eduardo Cardozo entregou ao Senado a defesa da presidente afastada. No documento, Cardozo solicita que sejam anexadas os trechos de gravações feitos pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o qual conversa com senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre a operação desencadeada pelo Polícia Federal (PF). O pedido da defesa deverá ser analisado pela Comissão de #Impeachment, tendo à frente, como relator, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

O pedido de inclusão das conversas gravadas entre Sérgio Machado e Romero Jucá foi um dos principais pedidos de José Eduardo Cardozo, na defesa entregue ao Senado, nesta última quarta-feira, dia 1º.

Publicidade
Publicidade

Como advogado de defesa, ele contestou a principal finalidade de todo o processo de impeachment, que seria somente o afastamento de Dilma. O ex-ministro da Justiça alegou desvio finalidade, visto que, em determinado trecho, Sérgio Machado refere-se ao afastamento de Dilma como uma manobra para evitar uma "sangria", que seria provocada pelo andamento da operação. Neste sentido, ele propôs ao senador peemedebista que se fizesse uma espécie de acordo, num cenário, onde o próprio Jucá configura como um dos investigados pela Lava Jato

As alegações de Cardozo são rebatidas pelo relator da Comissão de Impeachment, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). O parlamentar afirma que a alegação de desvio de finalidade é uma tentativa clara de tentar trazer à tona uma discussão, que, segundo a defesa, teria sido causada pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha e que já se encontrava superada pela aprovação de abertura do processo pelo Senado.

Publicidade

Durante a sessão da Comissão, nesta quinta-feira, dia 2, José Eduardo Cardozo contestou as afirmações do senador Anastasia. O advogado questionou a tentativa de barrar a inclusão das gravações como uma tentativa de impedir que sua cliente possa exercer seu direito de defesa. O ato poderá prejudicar a presidente, que corre o risco de ficar impossibilitada de provar a tese do suposto desvio finalidade.

O senador tucano, por sua vez, criticou o pedido da defesa de Dilma em solicitar uma perícia nas contas do #Governo por uma instituição independente. A contestação refere-se ao fato de Cardozo questionar a isenção do Tribunal de Contas da União (TCU) em realizar tal tarefa. Anastasia fez um apelo para a comissão e reivindicou a recusa para tal propósito, visto que, o órgão é referendado pela própria Constituição Federal como representante legítimo para tal finalidade. Além disto, o relator solicitou que a defesa da presidente seja intimada a expor, com mais detalhes, quais os tipos de questionamentos alegados que deverão ser objetos de pedido de perícia, desde que estejam fundamentados na sua importância para a defesa no processo. #Lava Jato