Após a perícia apresentada por consultores do Senado Federal, na última segunda-feira (27), que não aponta a participação da presidente Dilma Rousseff nas ações de crédito conhecidas como pedaladas fiscais, a defesa da petista e mais três senadores pediram esclarecimentos aos peritos. O prazo que os profissionais terão para responder aos questionamentos vai até sexta-feira (1º).

A defesa questionou sobre o fato do relatório apontar que os decretos pressionaram a meta fiscal de 2015. Também foi levantada uma dúvida sobre as pedaladas fiscais. A defesa interpelou sobre a proibição de contratar um banco público para prestação de serviços.

Publicidade
Publicidade

Os três senadores que fizeram questionamentos foram Lindbergh Farias (PT-RJ), Vanessa Grazziottin (PCdoB-AM) e o relator a Comissão do #Impeachment, Antonio Anastasia (PSDB-MG).

O petista questionou se os peritos apontaram "dolo expresso" da presidente Dilma nos decretos. Já a senadora comunista quis saber como é possível apontar impacto dos decretos na meta fiscal de 2015 se ela é estabelecida pela execução de gastos.

O senador tucano que relata o impeachment de Dilma no Senado quer sabe se existe algum recurso para pagamento das pedalas que haviam sido suplementados nos decretos durante o ano de 2015. Outra dúvida levantada por Anastasia diz respeito a afirmação dos peritos que um dos decretos seria "neutro do ponto de vista fiscal". 

Após esses questionamentos, os peritos do Senado terão até sexta-feira (1º) para prestar tais esclarecimentos.

Publicidade

Após isso, a defesa e acusação irão apresentar seus laudos sobre o documento pericial.  #Dilma Rousseff #Dentro da política