Foi lançada nesta quarta-feira (29), uma "vaquinha" para ajudar a presidente afastada Dilma Rousseff. A plataforma virtual Catarse é a responsável pelo lançamento. O objetivo dessa "vaquinha" é arrecadar em torno de R$ 500 mil, para que Dilma possa viajar nos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Uma pessoa, que mora em Brasília, fez a primeira doação no valor de R$ 10. A campanha, chamada "Jornada da Democracia", já arrecadou R$ 2,5 mil em apenas meia hora de funcionamento. A ideia da "vaquinha" foi das amigas da presidente afastada, Guiomar Silva Lopes e Maria Celeste Martins. Elas são amigas desde a ditadura militar.

Publicidade
Publicidade

O projeto mostra todos os detalhes e objetivos da doação. "Dilma precisa viajar pelo mundo", disse uma de suas amigas, "e para isso precisa de dinheiro e do nosso apoio". Um dos trechos descritos no projeto fala da injustiça que ela sofreu e de todo o carinho que as pessoas tem por ela.

"Golpe"

Lopes e Martins comentaram em um vídeo, que a presidente afastada está sendo vítima de um "golpe" e que ela sempre terá o apoio de pessoas que gostam dela. Essa amizade perdura desde os tempos da ditadura. "Temos um forte laço com Dilma", ressalta Maria Celeste no vídeo. Guiomar Lopes criticou também o #Governo do presidente interino #Michel Temer, dizendo que ele retirou os direitos de mobilidade da presidente.

Restrição

O presidente Michel Temer não concordava com as viagens de Dilma e publicou um parecer pela Casa Civil do governo.

Publicidade

Temer proibiu viagens de Dilma nos aviões da FAB, deixando livre apenas o trecho entre Brasília e Porto Alegre. De acordo com Temer, não é correto Dilma utilizar serviços do governo para divulgar no Brasil um possível "golpe de Estado". A Justiça do Rio Grande do Sul, em nota, disse que a presidente poderia viajar desde que pagasse pelas viagens. Foi através disso que surgiu a "vaquinha' para cobrir os gastos da presidente afastada.

Os recursos da campanha já serão utilizados nessa quinta-feira (30). Dilma viajará para Belém, no Pará, e se encontrará com militantes. #Dilma Rousseff