De acordo com declarações feitas pelo advogado do ex-ministro José Dirceu, Roberto Podval, à Folha de São Paulo,  existe uma proposta que seu cliente já repassou a dois deputados petistas de que a sigla deveria assumir sua parcela de culpa no esquema milionário de desvio de dinheiro e pagamento de propinas na Petrobras. Sem saber se a ideia partiu do mesmo, ela ganhou o apoio de outro condenado, João Vaccari Neto, o ex-tesoureiro do #PT, que também está preso e condenado pelo mesmos crimes que o ex-braço direito de Lula.

Dirceu propõe que além do PT, outros partidos assumam a culpa pela participação no esquema

A sugestão de Dirceu, cuja condenação é a maior até agora na #Lava Jato (20 anos e dez meses em uma única sentença), surgiu como uma forma do partido passa a limpo o envolvimento de vários de seus componentes nos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Esta atitude poderia beneficiar a todos, de forma coletiva e em caso de condenação a penas mais brandas. Este tipo de recurso jurídico é chamado de leniência. No Direito, ela é utilizada em acordos com empresas. A única diferença com a delação premiada é que esta última é feita com pessoas físicas. 

O acordo de leniência estipula que as empresas, mediante confissão de culpa, possam ser apenadas com pagamentos de multas e seus diretores podem ter as penas reduzidas ou até mesmo perdoadas. Além disto, a mesma poderá terá a possibilidade de manter seus contratos com o governo. A sugestão de Dirceu é que ela seja estendida para todos os partidos envolvidos.  

Por isto, o seu objetivo é que todas as siglas possam aderir a este tipo de procedimento para que, no final das contas, todos possam gozar de suas prerrogativas.

Publicidade

Para começar, cada presidente deveria elaborar um minucioso relatório com todas as informações de seus membros e que deveria ser entregue aos responsáveis pelas investigações, no caso, os Procuradores de Justiça. Estes dados poderiam até conter elementos que pudessem envolver tanto Dirceu quanto Vacccari.

A proposta ainda não foi posta em discussão pelo partidos, pois se encontra em uma fase inicial. Alguns políticos não acreditam que esta alternativa poderia ser aceita pelas demais siglas, que poderiam insistir na tese de que não existiriam políticos envolvidos nos crimes investigados pela Lava Jato. É o caso do deputado Carlos Zarattini (PT-SP), que tenta desmontar o fato de que há parlamentares que tenham agido para beneficiar certas empresas no esquema do Petrolão. Além disto, ele afirma que todas as operações feitas pelo ex-tesoureiro do PT foram feitas de forma lícita. O próprio presidente da sigla, Rui Falcão, não quis comentar o assunto. 

Os investigadores da Lava Jato rejeitam a hipótese de Dirceu

Questionados sobre esta alternativa, os procuradores da Lava Jato afirmaram que é natural que o PT e os demais partidos estejam buscando alternativas para se salvarem das condenações e para tentar reduzir a pena de seus membros.

Publicidade

Eles rejeitaram tal via e afirmam que não há 'espaço político' para tal. Além disto, tanto o Ministério Público (MP) quanto a Procuradoria Geral da República (PGR) afirmam que condenados como Dirceu e João Vaccari são mais úteis para servirem como exemplo de condenação do que como delatores.

  #Crime