Após protagonizar grande polêmica, em que o governo interino foi acusado de cortar a alimentação da presidente afastada, o Palácio do Planalto divulgou os dados referentes aos gastos de Dilma com comida desde o mês de janeiro desse ano.

Só nos 18 dias após o afastamento, de 13 a 31 de maio, a presidente afastada conseguiu gastar R$54 mil. Já no período de janeiro até maio os gastos se aproximaram de R$280 mil, o que dividindo chega a R$62 mil por mês.

O cartão de suprimento, que estava temporariamente cortado, foi reabastecido e já se encontra em uso pela presidente afastada. Os gastos são referentes a alimentação e necessidades básicas destinadas ao Palácio da Alvorada, onde vive a presidente até o término do mandato ou até sofrer o impeachment em agosto.

Publicidade
Publicidade

Na residência oficial vive Dilma, seus empregados e algumas pessoas de sua equipe. Não só a alimentação da Alvorada é custeada com o dinheiro público, mas Dilma continua usufruindo dos demais privilégios de quando ainda representava o Brasil.

Temer começa a colocar ordem na Casa

Além dos cortes nos gastos exorbitantes com a alimentação de Dilma, o governo Temer também cortou suas viagens com aviões da FAB. Dilma tem usado aviões oficiais para viajar ao Brasil mentindo sobre a atual situação política, onde acusa o atual governo de lhe aplicar um golpe, fato que já foi questionado pelo STF, negado por autoridades internacionais, como representante dos EUA e do Paraguai e não possui embasamento legal, uma vez que o processo do #Impeachment é previsto em lei e tem seu desenrolar analisado pelo Supremo.

Publicidade

Lula reaparece

Em sua primeira manifestação pública no Brasil após o afastamento de Dilma, Lula reclamou dos cortes e acusou Temer de retirar o almoço da presidente afastada, alegando que a partir de hoje, 8, terão de comer marmitex.

O ex-presidente também reconheceu que Dilma cometeu muitos erros, mas que acredita que ela possa se redimir e resolver tudo o que deixou pendente no país. Para que isso aconteça, Dilma deve torcer para que pelo menos dois senadores que aprovaram o seu afastamento não votem a favor da sua saída em agosto.

Caso escape desse processo de impeachment, existem outros aguardando analise do presidente da câmara e que só não foram colocados em votação, quando Eduardo Cunha ainda presidia a Casa, porque já havia um processo em andamento com o mesmo fim.

Qual a sua opinião sobre esses gastos de #Dilma Rousseff? Opine através de um comentário. #Michel Temer