As coisas vão ficando bem difíceis para #Eduardo Cunha. Ao longo do depoimento concedido para a Operação Lava Jato, no dia 28 de abril, ao Ministério Público Federal, em Curitiba, capital do Paraná, a jornalista Cláudia Cruz, casada com o político, disse que o companheiro era o responsável por administrar, no exterior, as contas que bancavam as despesas da família. Segundo ela, apenas o marido, que é deputado federal pelo PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) do Rio de Janeiro, tinha conhecimento do saldo disponível e, por isso, também tinha a exclusividade de autorizar os gastos da família fora do território brasileiro, especialmente compras bastante luxuosas.

Publicidade
Publicidade

Questionada, Cláudia falou que, por confiar em Eduardo Cunha, jamais quis saber da origem dessa quantia e, por isso, nunca se preocupou em declarar as suas compras à Receita Federal.

Outro ponto abordado durante o depoimento foi sobre os inúmeros gastos de luxo em Paris, Roma, Lisboa e Dubai. Cláudia Cruz reconheceu essas despesas, mas reafirmou que tudo era abastecido pelo deputado e negou ter aberto qualquer conta no exterior em seu nome.

Sobre a retificação feita em 2015 na declaração do Imposto de Renda do ano anterior, ela não apresentou qualquer tipo de explicação. Nessa correção, o valor do patrimônio da jornalista teve um crescimento aproximado de R$ 300 mil. Cláudia disse que há vinte anos que todas as suas declarações são feitas pelo contador Paulo Lamenza, o qual também presta contas a Eduardo Cunha.

Publicidade

Perguntada, a ex-profissional da Rede Globo de Televisão (apresentou o RJ TV, telejornal diário do Rio de Janeiro, na década de 90) afirmou que a sua família sempre teve um padrão de vida elevado. Já sobre a origem dos recursos atuais do marido, ela disse serem provenientes do mercado financeiro e do ramo empresarial. Também disse desconhecer o salário de um deputado federal.

Eduardo Cunha vem sendo investigado por uma série de irregularidades. Uma delas seria a participação no esquema de propina da Petrobrás. Por conta disso, ele está afastado, de maneira temporária, do cargo de presidente da Câmara dos Deputados. #Lava Jato #Dentro da política