O relatório anual, divulgado pelo Centro Mundial da Competitividade (CMC), divulgado nesta segunda-feira, dia 06, mostrou um resultado nada satisfatório para os países da América Latina. O Brasil ficou classificado como um dos últimos países em quesitos como burocracia, transparência de seus governos e, por último, no item corrupção. Estes dados são divulgados anualmente e medem a capacidade de todos os países do mundo em termos de desenvolvimento econômico e institucional.

O Brasil foi considerado um dos piores da América Latina por culpa dos governos Lula e Dilma

De acordo com o diretor do CMC, Arturo Bris, o Brasil causa grande preocupação por ser considerado um dos países latino-americanos com o pior #Governo do mundo.

Publicidade
Publicidade

Segundo o mesmo, o crescimento do país não é impossível, entretanto, se seus governantes não fazem o que é certo, todo o resto tende a fracassar. Ele culpa exclusivamente os dois últimos governos petistas, tanto de Dilma quanto de Lula, como os únicos responsáveis pela situação extremamente crítica em que o país se encontra.

O Brasil encontra-se na posição de lanterna em relação a todos os demais, ficando atrás da Venezuela, Mongólia e da Ucrânia. Segundo o ranking, o país despencou da posição 58, em 2014, para a posição 60, em 2015, e, atualmente, está na posição 61, o último lugar na classificação. Nesta lista, o Chile é o único da América Latina que aparece entre os primeiros 40 classificados  A liderança mundial é de Hong Kong. Na mesma, ainda aparecem, nesta ordem, México, na posição 45, depois Colômbia, na classificação 51, Peru, em 54º,  e Argentina na posição 55.

Publicidade

O relatório do CMC considerou, além dos aspectos de corrupção e transparência, outras condições negativas como a demora em se abrir uma empresa no país e as barreiras existentes que dificultam a entrada de capitais. Os dados levantados para a pesquisa são referentes a 2015, portanto, abrangem o último governo Dilma. Isto possibilitou a obtenção de um diagnóstico bem atual da realidade brasileira.

Segundo Bris, este resultado negativo para o país deverá ter um reflexo significativo nas próximas gerações. Elas terão que despender uma grande carga de trabalho e de mais sacrifícios para tentar reverter esta situação. Além disto, o Brasil continuará  a sofrer com a constante falta de uma infraestrutura adequada e de um sistema público de saúde e educação muito precários. Segundo o Conselho, a burocracia e a morosidade do serviço público constituem uma das principais barreiras que impedem, diretamente, o seu desenvolvimento econômico.

Na sua conclusão, o CMC advertiu para o fato de que todos os países que fazem parte da América Latina ainda não estão aptos a subirem no ranking mundial, pela falta de uma conjunção de todos os fatores necessários para tal evolução. #PT #Crise no Brasil