Nessa segunda-feira, 27, a sessão da Comissão Especial do #Impeachment teve momentos tensos. Além das discussões de rotina e de mais uma defesa que piorou a situação da presidente afastada, também houve discussão entre Janaína Paschoal e Lindbergh Farias.

A advogada e professora de direito pediu oportunidade ao presidente da CEI para rebater as criticas do senador Lindbergh. Na sexta-feira passada, 24, o marido da senadora petista Gleisi Hoffmann foi preso pela operação Lava Jato e a partir dali começaram a surgir acusações por parte da defesa da presidente afastada que a prisão só tinha como objetivo afetar Gleisi.

Janaína se pronuncia

A advogada comentou que ficou sabendo das acusações contra ela através de um questionamento feito por uma jornalista.

Na ocasião soube que Lindbergh Farias havia dito que ela teria alguma coisa a ver com a prisão de Paulo Bernardo. Além disso, falou que o juiz que emitiu o mandado de prisão do ex-ministro de Lula e Dilma é orientando de Janaína, insinuando que ela pediu que a prisão fosse feita para atingir a senadora Hoffmann.

Janaína ficou muito irritada e bateu de frente com o senador, explicitando que ele não teve coragem de lhe falar pessoalmente sobre o ocorrido, fazendo com que ela tivesse conhecimento através de terceiros. Também deixou claro que seus alunos não são submissos à ela, de forma que a única satisfação que lhe dão é em relação à pesquisas acadêmicas.

Acusou o PT de não ter orientandos, mas 'vassalos', e disse que por esse motivo o partido acha que todas as pessoas são iguais. O presidente da comissão tentou intervir, devido a discussão estar ficando séria, mas Janaína se recusou a deixar de concluir sua fala contra as acusações de que estava sendo acusada sem nem ao menos saber.

Abaixo segue parte da discussão que aconteceu nessa segunda-feira:

Defesas petistas

Ainda na sexta-feira passada, quando Paulo foi preso, Gleisi fez uma publicação na internet em que acusou o governo de Michel Temer de ter interesse na 'prisão injusta' de seu marido a fim de mudar o foco do impeachment.

A bancada de defesa de Dilma pretende pedir anulação da ação da Polícia Federal junto ao STF. A decisão do grupo foi criticada pelos demais senadores da Casa. #Corrupção #Congresso Nacional