O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, por intermédio de seus advogados, protocolou, nesta quinta-feira (16), um pedido de investigação contra o juiz Sérgio Moro. Nele, sua defesa aponta as 'irregularidades' cometidas por Moro na condução das investigações contra o petista.

O anúncio do pedido de Lula veio em resposta à notícia de que o mesmo será denunciado criminalmente dentro de poucas semanas. O pedido deve ser indeferido, mas o contexto da petição é amplo e baseia-se na anulação das gravações de ligações de Dilma Rousseff. A defesa de Lula quer que essas gravações obtidas por meio de grampos telefônicos sejam anulados por ilegalidade.

Publicidade
Publicidade

O pedido

Dentre muitas coisas, os advogados de defesa afirmaram, categoricamente, que, a partir do momento que Sérgio Moro decidiu grampear os telefones de Lula e de seus familiares, bem como realizou a busca e apreensão de bens, houve infração aos Direitos Humanos.

O pedido aponta ainda que Moro foi arbitrário, agindo com abuso de poder ao levá-lo para depor coercitivamente, não emitindo uma prévia intimação. As acusações contra o juiz também afirmam que ele perseguiu Lula e seus familiares e tentou incriminá-los.

O pedido e suas muitas páginas será  analisado por Rodrigo Janot, procurador-geral da República. Janot é conhecido por alguns impasses quando o assunto é decidir contra Lula ou Dilma, mas, ainda assim, gravações telefônicas de Lula mostraram que o ex-presidente andava meio revoltado com o procurador.

Publicidade

Nessa semana, Janot 'ganhou' um pedido de impeachmentjustamente por evidenciar um tratamento diferenciado para lidar com os dois petistas.

O objetivo

Caso o pedido seja acatado e uma investigação seja aberta, Moro pode ser afastado da #Lava Jato. Entretanto, isso não é motivo de alegria para os petistas, pois Lula continuará com o futuro nas mãos da 'República de Curitiba', mudando apenas o juiz competente para o seu caso. O foco do pedido é ganhar tempo, enquanto o recurso para que as investigações voltem para o STF seja analisado. #Polícia Federal