A Confederação Nacional de Transportes divulgou nesta quarta-feira (8) o resultado de pesquisa de intenções de voto para o cargo de presidente do Brasil. Para o primeiro turno eleitoral, o ex-presidente #Lula tem 8,6% das intenções de voto e está em primeiro, seguido de Aécio Neves, com 5,7%, e Marina Silva, com 3,8%.

A pesquisa da CNT foi realizada em 137 municípios. Participaram 2.002 pessoas de 25 estados de todas as regiões brasileiras. De acordo com a entidade, a margem de erro da pesquisa é de 2,2%.

Na pesquisa de intenção de voto simulada para o primeiro turno, Lula tem 22% contra 15,9% de Aécio Neves e 14.8% de Marina Silva.

Publicidade
Publicidade

Neste cenário constam ainda Ciro Gomes, com 6%;  Jair Bolsonaro, com 5,8%, Michel Temer com 5,4. Votos brancos e nulos atingem 21,2% e indecisos, 8,9%.

Um segundo cenário inclui como candidatos o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin e o presidente em exercício, Michel Temer. Neste grupo de candidatos, Lula amplia a vantagem para 22,3%. Marina Silva continua em segundo com 16,6%; Alckmin obtém 9,6%; Ciro Gomes 6,3%; Temer tem 6,2%. Brancos e nulos ficam com 24% e indecisos, 8,8%.

Segundo turno tem reviravolta

A liderança de Lula cai em um possível segundo turno. De acordo com pesquisa do CNT, Aécio Neves tem vantagem sobre o petista, bem como se a disputa fosse contra Marina Silva ou Michel Temer. Contra Lula, o candidato do PSDB tem 34,3% da intenção de voto contra 29,9% do petista.

Publicidade

Aécio também tem preferência em relação a Temer – 32,3% contra 15,8%. Em relação a Marina Silva, Aécio tem 29,7% da preferência contra 28%.

Lula só obtém vantagem em relação a Michel Temer: 31.7% contra 34,4%. Os demais pesquisados se mostraram indecisos.

Marina Silva tem a preferência em relação a Temer e Lula. Ela obteve 33,7% contra 20,9% de Temer. Contra o petista, Marina tem 35% contra 28,9.

Expectativa

A CNT também pesquisou a expectativa do brasileiro para os próximos seis meses. Em relação ao emprego, 37,5% acreditam que não haverá mudança de cenário. A situação ficará pior para 33,4%. Os otimistas são 27,2%. #Eleições