Nesta quinta-feira (23), agentes da #Polícia Federal apreenderam no Diretório do Partido dos Trabalhadores, em São Paulo, computadores e documentos, em um dos desdobramentos da 18° fase da Operação Lava Jato, a Operação Custo Brasil. 

Dez agentes da Polícia Federal entraram na sede do #PT, vestidos com roupas camufladas, por serem considerados policiais da elite da PF, e juntamente com um perito da área de informática, apreenderam um HD. 

Nesta fase da operação da Lava Jato a PF está cumprindo 40 mandados de busca e apreensão, 11 de prisão preventiva e 14 para condução coercitiva, totalizando 65 mandados judiciais em São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul.

Publicidade
Publicidade

Rio de Janeiro, Pernambuco e Distrito Federal.   

Objetivo da operação

A PF informou que foi constatado, entre os anos de 2010 e 2015, o pagamento de propina para a prestação de serviços de informática, que totalizou um valor de R$ 100 milhões. As pessoas evolvidas nesses pagamentos são funcionários e agentes do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), que são investigados por crimes de #Corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro, que têm penas que variam de 2 a 12 anos de prisão. 

Nesta ação realizada pela PF, o marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e também ex-ministro do Planejamento do governo Lula, Paulo Bernardo, foi preso em Brasília. Sua defesa disse que está desconhecendo essa ação da PF, pois Bernardo sempre se manteve à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas, já Carlos Garbas, ex-ministro do Planejamento do governo Dilma Rousseff, foi levado em condução coercitiva, quando uma pessoa é obrigada à prestar depoimento. 

O administrador do portal "Brasil 247", o jornalista Leonardo Attuch, também foi conduzido coercitivamente, já que seu nome aparece nas investigações da Lava Jato, com suspeitas de receber dinheiro sem ter executado um serviço. 

O presidente do PT, Rui Falcão, que estava em Brasília, já está voltando para São Paulo.

Publicidade

O PT ainda não se pronunciou sobre a operação.