A votação do impeachment ainda está dando o que falar, e dessa vez quem está no centro dos boatos é o senador Romário, acusado por Mara Gabrilli. Segundo a deputada, o ex-jogador de futebol estaria combinando algumas trocas de favores com o presidente interino #Michel Temer. Romário teria pedido uma secretaria para Temer, em troca, o senador votaria a favor do impeachment de Dilma Rousseff, fazendo com que o presidente interino permanecesse no cargo.

Romário se pronunciou hoje por meio de uma nota, dizendo que as acusações e suposições feitas por Mara "são mentirosas", alegando, assim, que não há nenhum trato feito entre ele e Temer.

Publicidade
Publicidade

O senador ainda foi irônico ao dizer que antes dessa nomeação de secretaria, a deputada tinha uma opinião muito diferente da atual - afirmando que Mara já tinha até mesmo o elogiado, pela aprovação da Lei Brasileira de Inclusão (LBI).

Vale ressaltar que Mara Gabrilli é uma grande representante das pessoas com deficiência. A deputada tinha sugerido um nome para a Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência, no entanto, Temer não escolheu a pessoa que fora proposta pela deputada. Foi aí que Mara resolveu dizer que tudo não passava de um jogo de cartas marcadas e que Romário tinha um acordo com Temer.

Vale lembrar que o senador estava no grupo de indecisos que não sabiam ainda se iriam votar a favor ou contra o afastamento definitivo de Dilma Rousseff. Segundo a deputada, foi exatamente por isso que houve uma pequena troca entre o ex-jogador e o presidente interino.

Publicidade

Temer queria que o voto do senador do Rio de Janeiro fosse a favor do impeachment. Em sua defesa, Romário diz que Mara está chateada porque Temer não escolheu um dos nomes que foram propostos por ela, e que, por isso, decidiu sair por aí e contar inverdades. Ele afirma que as declarações feitas pela deputada são mentirosas.

E você leitor, acha que Romário trocou favores com Temer, ou que isso não passa de boatos que foram espalhados? Deixe sua opinião na área dos comentários. #Dentro da política