Marco Maciel ex-vice-presidente durante os mandatos de Fernando Henrique Cardoso completa 50 anos de vida público partidária, mas não haverão grandes comemorações, principalmente pelo delicado estado de saúde que se encontra o pernambucano que acometido pelo mal de Alzheimer, que evita aparições públicas.

Na política desde 1966 quando elege-se deputado estadual passando em seguido por todos os cargos pleiteados pelos políticos. Esteve na Câmara Federal, inclusive ocupando a presidência da casa entre 1977 e 1979, Senado Federal, Ministério da Educação e Cultura, #Governo do Estado, onde foi governador biônico de Pernambuco até chegar a vice-presidência no mandato de Fernando Henrique Cardoso.

Publicidade
Publicidade

Pernambucano de Recife, Maciel além da política, dedicava se também a lecionar Direito Internacional Público na Universidade Católica de Pernambuco e em 1991 tornou-se imortal, sendo eleito para a cadeira 22 da Academia Pernambucana de Letras.

Abandonou a vida pública quando não conseguiu se reeleger ao Senado Federal tornando se, após o episódio, recluso em Brasília. "Apesar de nunca ter admitido, sentiu a derrota nas urnas como ingratidão de seu eleitorado, por ter dedicado toda sua vida ao Brasil e a Pernambuco", afirma Guilherme Codeceira, assessor do político desde o início da década de 1980.

As citações ao político, sempre elogiosas, foram reeditadas em duas versões lançadas por Fernando Henrique Cardoso recentemente sobre suas memórias, onde cita o seu vice como um político fiel e discreto.

Publicidade

Em função do Mal de Alzheimer, Maciel tem hoje uma equipe que cuidadores, comandadas pela esposa Anna Maria Ferreira Maciel com quem completará 50 anos de casamento em 2017.

Anna Maria é lembrada por amigos e políticos como uma parceira que soube entender as ausências do marido em função da vida pública. "Marco não estava o tempo todo cuidando das coisas da família, as sempre foi um grande companheiro", relata a esposa.

Nenhum dos três filhos do casal seguiu a carreira do pai, que dizia não impor nada a nenhum deles. #Reforma política #Dentro da política