Uma possível delação premiada de Marcelo Odebrecht circula em jornais e revistas, no qual prometem que o maior escândalo de #Corrupção do país seja delatado pelo ex-presidente da empreiteira, que iria revelar acontecimentos arrasadores envolvendo a presidente afastada Dilma Rousseff, falando sobre o caixa dois de sua campanha e doações ilegais que totalizaram milhões de reais. Dilma luta para manter sua trajetória política em meio ao processo de impeachment, cujo pedido está no Senado Federal, ela nega quaisquer rumores de irregularidades e corrupção, e está sendo julgada por crime de responsabilidade, o qual levou ao afastamento.

Rumores

O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, que integra a força-tarefa das operações da Lava Jato, negou que Marcelo Odebrecht os tenha procurado para uma possível delação.

Publicidade
Publicidade

O procurador afirmou que essas notícias não condizem com a verdade, e que Odebrecht não conversou com nenhum promotor para realizar uma confissão. Santos Lima, afirmou em seu escritório em Curitiba, que é um mistério o que circula nos meios de comunicação, dizendo que "ele não chegou nem perto disso", sobre Marcelo falar com promotores. 

O ex-presidente da maior empreiteira da América Latina não está convocado para ser delator, como diz a mídia em "tom alarmista".

O procurador afirma: "quem está vazando esse falso 'depoimento' de Marcelo, mas acho que vem tanto de pessoas que estão tentando ajudá-lo, quanto prejudicá-lo, aqueles que podem ser expostos por qualquer depoimento que ele possa vir a dar".

Odebrecht chegou a comunicar durante a CPI que apurava seu caso, que nunca se tornaria um delator, Santos Lima afirmou que ainda há uma vaga para delação que pode ser a empreiteira Odebrecht ou qualquer outra, avaliando que será a que trará mais informações concretas que ajudarão nas investigações. 

A força da #Lava Jato já atingiu diversos políticos e nomes poderosos da sociedade causando furor e desestabilização na política brasileira, por colocar atrás das grades, grandes executivos e políticos, que são envolvidos em pagamentos de propinas e valores extraordinários desviados do poder público.  #Dilma Rousseff