O ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva tem diminuído, ultimamente, o seu "poder de fogo". Uma pessoa próxima a Lula, disse que existe um grande temor por parte do ex-presidente em ter a sua prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro. O advogado e professor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Eron Bockmann Moreira, revelou detalhes importantes ao ressaltar a rapidez com que os processos estão correndo no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). De acordo com o advogado, o Tribunal tem sido muito objetivo e contundente nos julgamentos protocolados pela Operação #Lava Jato e, dificilmente, os magistrados reformam as decisões de Sérgio Moro, pelo contrário, eles agravam ainda mais as penas.

Publicidade
Publicidade

Moreira ressalta que a Justiça Federal tem muitas provas que estão fora do conhecimento público, que foram colhidas na condução coercitiva do ex-presidente, e a agilidade de Moro pode complicar a vida de Lula.

Força-tarefa

A força-tarefa da Lava Jato busca esclarecer algumas informações que ainda estão sendo investigadas. Duas empresas ligadas a Lula estão se misturando operacionalmente, o Instituto Lula e a Lils Palestras. As duas empresas pertencem ao ex-presidente, a Lils, porém, não tem empregados e sua sede é na casa do Lula. O Instituto Lula recebeu da Lils R$ 10 milhões em pagamentos de palestras e, além disso, recebeu R$ 20 milhões e doações.

Tudo isso está sendo investigado pela Lava Jato. Outro ponto que também está sendo observado é a tentativa da "compra do silêncio" de Nestor Cerveró, ex-diretor da #Petrobras pelo ex-presidente, impedindo que se firmasse um acordo de delação premiada.

Publicidade

Lula

O Lula terá grandes desafios pela frente se quiser evitar a sua prisão. A força-tarefa continuará no cerco a Lula, não dando trégua ao ex-presidente. A nomeação de Lula pela presidente afastada Dilma Rousseff demonstrou que o PT queria o foro privilegiado para o ex-presidente, isso causou mais desconfiança por parte da Justiça. 

O caso do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, trouxe à tona também investigações que estavam paradas, resta saber se Lula tem algo a ver com isso ou não. Algumas fontes disseram que ele teria sido assassinado para não envolver Lula no esquema de propinas.