Na madrugada dessa segunda-feira (13), uma importante #Manifestação aconteceu na fábrica da Suzano Papel e Celulose que fica localizada no município baiano de Mucuri. Informações preliminares afirmam que a fábrica foi tomada por 1.400 integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

A intenção com a ocupação é, mais uma vez, protestar contra o presidente interino Michel Temer, que é chamado, por líderes do movimento, como “governo ilegítimo e golpista”.

Além da manifestação contra Temer, o movimento social também questiona o novo modelo de agronegócio brasileiro. O grupo também contesta o fechamento do Ministério do Desenvolvimento agrário, atitude tomada por Temer logo nos primeiros dias que assumiu a presidência.

Publicidade
Publicidade

O MST garante que as atividades industriais de uma das maiores empresas de celulose do país, estão interrompidas com a invasão. Porém, a informação não foi confirmada por dirigentes da empresa que garantiram que as atividades continuam funcionando normalmente mesmo com a invasão do MST.

De acordo com a nota enviada pela empresa a imprensa, os invasores estão ocupando apenas a parte externa da fábrica, e estão atrapalhando apenas a circulação de veículos e trabalhadores.

Ocupação ocorre logo após assinatura de contrato de ampliação da fábrica

O MST ocupou a Suzano Papel e Celulose logo após a assinatura do fechamento de um acordo de ampliação e modernização da fábrica. O investimento para ampliação gira em torno de R$ 700 milhões.

A intenção é que a empresa passe a fabricar papéis tipo tissue, utilizado na produção de papel higiênico.

Publicidade

O MST também contesta o investimento na fábrica, segundo declaração de Paulo César de Souza, um dos dirigentes do diretório nacional do MST. A ampliação da fábrica irá trazer graves impactos ambientais e agredir a cultura do eucalipto na região.

Manifestação faz parte da 'Jornada Nacional de lutas do MST'

A manifestação integra um movimento apelidado de Jornada Nacional de Lutas do MST. A intenção dessas manifestações é chamar a atenção do grande público sobre os ideais defendidos pelo movimento.

Além da Suzano Papel e Celulose, o MST está ocupando outras duas grandes instituições governamentais. O INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), onde o MST ocupou oito sedes regionais e três sedes da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba). #Michel Temer #Crise-de-governo