Uma declaração do procurador da República, Deltan Dallagnol, que coordena a força tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, disse que as investigações dos acusados, que estariam envolvido nos escândalos,  podem acabar a qualquer momento, já que segundo ele, poderosos que fazem parte do #Governo estariam conspirando para que as seus nomes não sejam manchados com o prosseguimento da Operação da Polícia Federal.

A #Lava Jato, que apuram o maior escândalo da história do país, está mexendo com os poderosos, e eles não estariam nada satisfeitos com os rumos das investigações que citam pessoas que detém poderes no Governo e Congresso Federal.

Publicidade
Publicidade

Para Deltan Dallagnol, as conversas gravadas entre os principais líderes do PMDB, como, José Sarney (AP); Renan Calheiros (AL), presidente do senado; e ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá (RR); com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado; revelam um esquema que teria como objetivo principal barrar o andamento das investigações - os nomes destes líderes são mencionados no esquema de propina.

Quando perguntado por um jornalista, se as conversas que foram divulgadas pela imprensa, entre os políticos e Sérgio Machado, poderiam resultar no fim da Operação Lava Jato, Daltan Dallagnol explicou que, quando as investigações começam a apontar para pessoas que têm influência política e econômica, que nunca foram investigadas e estão acostumadas a viver na impunidade, haverá uma reação imediata e natural dos apontados.

Publicidade

As várias artimanhas criadas pelos envolvidos nas investigações mostram que a maioria dos políticos estão incomodados e tentam de todas as maneiras distorcerem os fatos, com o intuito de tirar o foco e rebaixar as investigações oriundas da operação mais importante do país. Se não fosse a sociedade, que apoia a Lava Jato, as investigações já teriam se findado há muito tempo, disse o procurador.

Outra pergunta feita para o procurador, refere-se ao Governo e ao Congresso Nacional: eles poderiam por fim à Operação Lava Jato?

Para o procurador Daltan, isso seria possível sim, já que os maiores interessados fazem parte destes dois órgãos públicos, e que, provavelmente, se unirão em prol do fim da Lava Jato, com intuito de se protegerem.  #PMDB