Na semana passada, Marcos Valério enviou para o Ministério Público do Estado de Minas Gerais uma proposta para tentar fechar mais um acordo de delação premiada, Valério está disposto a revelar detalhes nunca ditos sobre o famoso escândalo do mensalão, que envolve o PSDB e o PT. Valério ficou conhecido como o operador do mensalão. 

Segundo o delegado, Jean Robert Kobayashi Júnior, o objetivo da delação premiada é entregar parlamentares com foro privilegiado de diversos partidos, e nomes que já estão no esquema de #Corrupção investigado na Operação #Lava Jato. Marcos Valério quer colaborar com as investigações entregando cerca de 20 pessoas envolvidas com alto poder de influência na sociedade. 

Prisão

Marcos Valério está preso há três anos na penitenciária de Nelson Hungria, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Publicidade
Publicidade

Ele é acusado de crimes como lavagem de dinheiro, peculato, corrupção ativa e evasão de divisas. Sua pena de prisão está estimada em 37 anos, no qual ele cumpre fazendo trabalhos para descontar os dias preso. Sua pena foi considerada histórica no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), por ter sido a maior entre os condenados pelo mensalão. 

Interlocutores afirmaram que Valério já "apanhou"  muito e se cansou, e que "agora vai começar a bater"

Investigação

Marcos Valério foi citado em um denúncia da Lava Jato, perante o juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, e também está perto de ser julgado no mensalão mineiro pela Justiça estadual, o que dificulta ele conseguir mudar sua pena para o regime semiaberto, o que seria previsto depois de 1 ano e meio cumpridos na penitenciária. 

Foi encaminhado para a força-tarefa da Lava Jato, no ano passado, pela defesa de Marcos Valério, que está dirigida pelo criminalista Marcelo Leonardo, uma proposta para delação premiada no qual pretende explicar sobre o esquema que financiou caixa dois na campanha de reeleição de Eduardo Azeredo, ex-presidente do PSDB, operação que foi feita por Valério.

Publicidade

Neste trama, foram envolvidos outros políticos na década de 1990.  #Governo