Parece que mais uma reviravolta aconteceu no cenário político brasileiro. O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, pediu a prisão de líderes políticos no governo. O procurador alegou que os políticos agiam para impedir as operações da Lava-Jato. A prisão dos líderes apresentados em seu pedido protocolado junto ao STF pode acontecer a qualquer momento.

Renan e Cunha em um só pedido de prisão

Janot indiciou Eduardo Cunha (PMDB), Romero Jucá (PMDB), Renan Calheiros (PMDB) e José Sarney, também do PMDB. Os políticos foram delatados pelo ex-diretor da Transpetro, Sérgio Machado, que afirmou que os políticos desejavam afastar Dilma do poder a fim de acabar com as investigações da Lava-Jato.

Publicidade
Publicidade

Renan Calheiros é senador e - ainda - presidente do Senado. Contra o político tramita também um processo para afastamento e cassação de seu mandato. Machado afirmou ter repassado aos políticos - Renan, Jucá e Cunha - mais de 70 milhões de reais em propinas, além de outros membros do partido. 

Vão cair os líderes do PMDB e principais articuladores do impeachment

Sérgio Machado ficou por 12 anos como diretor da Transpetro, período em que utilizou seu cargo para desviar verbas que foram repassadas para o PMDB, segundo sua delação premiada, feita junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No mês de maio, Machado liberou duas gravações, nas quais Romero, Jucá e Renan Calheiros falavam sobre o afastamento de Dilma e do intuito de barrar as investigações da Lava-Jato. Segundo Renan e Jucá, Dilma deveria ser afastada porque não estaria interessada em barrar as investigações da Lava-Jato.

Publicidade

Os políticos foram gravados durante minutos e o áudio foi liberado pouco depois de Michel Temer (PMDB), assumir a presidência após o afastamento de Dilma Rosseff (PT). Em menos de 24 horas da divulgação do áudio, Romero Jucá (PMDB), que havia assumido o Ministério do Planejamento, foi exonerado do cargo. 

Delcídio foi preso por muito menos

Renan Calheiros ainda continua como presidente do Senado, mas após a apresentação de Janot, o político pode ser preso nos próximos dias. Segundo o procurador, Delcídio foi preso por muito menos. Janot se referia ao ex-senador que foi preso por atrapalhar as investigações da Lava-Jato. #Dilma Rousseff #Eduardo Cunha #Crise no Brasil