Investigadores da Polícia Federal e membros do Ministério Público estão praticamente convencidos de que Luiz Marinho, prefeito da cidade de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, e Luís Cláudio, o filho caçula do ex-presidente Lula, receberam algum tipo de favorecimento após a compra de mais de 30 caças da marca Gripen, produzidos pela empresa sueca Saab.

A companhia abriu um escritório naquele município, onde também pretende realizar a montagem dos aviões comprados no ano de 2014, durante a gestão Dilma Rousseff

As negociações de compra envolveram valores da ordem de 5 bilhões de dólares com um superfaturamento de quase 1 bilhão da mesma moeda.

Publicidade
Publicidade

Para os agentes da Operação Zelotes, a prova de que as propinas foram pagas vêm do extrato das contas de Luís Cláudio. A justiça autorizou a quebra do sigilo bancário na semana passada. 

A empresa LFT, voltada para marketing esportivo, de propriedade do filho de Lula, já sofria com investigações por envolvimento em esquemas de #Corrupção no valor de R$ 4,6 milhões, mas os extratos provam a movimentação de mais de R$ 10 milhões, oriundos de transferências realizadas por Cristina Mautoni e também por Mauro Marcondes. Os lobistas teriam participado da operação de compra dos caças com o consentimento e apoio de Luiz Marinho, 

Investigadores da Zelotes também encontraram uma troca de mensagens por e-mail nas quais um executivo da empresa Saab pede ajuda dos lobistas e do prefeito para agendar uma reunião com Lula, alguns meses antes da efetivação da compra.

Publicidade

Um dos procuradores entrevistados pela revista ISTOÉ declarou que existem provas claras de que a propina foi paga e de que o chefe do executivo de São Bernardo participou do negócio. 

O mesmo procurador estranha a participação de Marinho na escolha dos caças, pois o mesmo não teria conhecimento técnico para tal. Porém, sabe-se que o petista é um dos políticos mais próximos de Lula, herança da amizade iniciada nos tempos de sindicalismo e da fundação do PT.

Mesmo com propostas aparentemente melhores, de empresas norte-americanas e francesas, Marinho deu preferência à Saab, companhia com a qual criou forte vínculo, chegando a voar em um dos caças, em 2010, exibindo a foto do evento nas redes sociais.  #Lava Jato #Grande ABC