A notícia de que o presidente interino Michel Temer estaria envolvido em uma manobra contra a cassação do mandato de #Eduardo Cunha desagradou parte dos partidos aliados da Presidência. Segundo o jornal O Globo, líderes do PSDB, DEM, PSB e PPS devem se reunir com Temer nesta quinta-feira (9) a fim de demonstrar o incômodo com a situação e esclarecer o suposto envolvimento do presidente e alguns de seus ministros no caso.

A suspeita de intervenção do Palácio do Planalto surgiu após a deputada Tia Eron, do PRB da Bahia, não comparecer à sessão do Conselho de Ética da Câmara que votaria o relatório favorável à cassação de Cunha na última terça-feira (7).

Publicidade
Publicidade

Compreendendo a manobra, o presidente do Conselho, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), cancelou a votação, que deveria acontecer nesta quarta (8), mas foi adiada novamente para a próxima terça (14). O novo adiamento daria mais tempo para que a deputada seja pressionada pela imprensa e por seus eleitores a fim de que vote a favor da cassação do ex-presidente da Câmara.

A participação de #Michel Temer no caso teria acontecido na segunda-feira (7) por meio de uma reunião entre ele e o ministro da Indústria e Comércio, Marcos Pereira, que preside o partido de Tia Eron. No encontro, Temer e Pereira teriam discutido sobre a votação da deputada. A assessoria do governo nega que o assunto tenha sido pauta do encontro. #Crise-de-governo