A crise política enfrentada pelo Brasil aparenta estar longe de um desfecho. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) recomendando que o processo que envolve o ex-presidente da República, Luiz Inácio #Lula da Silva, seja encaminhado ao juiz Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava-Jato, através da décima terceira Vara Federal, sediada em Curitiba, no estado do Paraná.

Há uma forte tendência de que o ministro do STF, Teori Zavascki, relator dos processos da força-tarefa, encaminhe as acusações contra Lula para a Justiça Federal do Paraná.

A denúncia contra Lula

A denúncia acometida envolvendo o ex-mandatário do País é relacionada ao processo de delação ou colaboração premiada firmada entre o ex-senador petista Delcídio do Amaral, junto ao Ministério Público Federal.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a denúncia, um dos principais alvos era o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, além de seu filho Maurício Bumlai, o banqueiro André Esteves e o ex-assessor de Delcídio, Diogo Ferreira.

As investigações apuram que a ideia era que o ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, não aceitasse um acordo de delação premiada junto à Justiça Federal do Paraná, porém, o mesmo foi firmado junto à força-tarefa.

A Procuradoria-Geral da República salienta que o grupo teria tentado comprar o silêncio de Cerveró pela quantia de R$ 250 mil. A PGR foi ainda mais longe ao delinear que Lula "impediu, ou mesmo embaraçou a investigação criminal que envolve organização criminosa, e além de tudo, ocupando papel central, ao determinar e dirigir a atividade criminosa", de acordo com o parecer do procurador Rodrigo Janot.

Publicidade

A Procuradoria solicita que todos os acusados respondam criminalmente e sejam condenados por obstrução da Justiça, ao tentar atrapalhar a Operação Lava-Jato. Os investigadores analisaram intensamente diversas provas e indícios como extratos bancários, e-mails, interceptações telefônicas, diárias de hotéis e passagens aéreas.

Defesas se pronunciam

A defesa do ex-presidente Lula afirmou que ele jamais discutiu com Delcídio a tentativa de obstruir a delação de Nestor Cerveró. Já as defesas de José Carlos Bumlai e André Esteves negam acusações e afirmam que não houve nenhuma irregularidade. #Lava Jato #Corrupção