Deltan Dallagnol, procurador da República e coordenador da força-tarefa da #Lava Jato, comentou que a Lava Jato está sofrendo ataque de alguns políticos específicos. Isso pode ser comprovado através dos áudios que foram revelados pelo empresário Sérgio Machado, onde existem gravações que flagraram integrantes do governo Michel Temer e peemedebistas envolvidos em tentativas e planos de obstruírem a Operação. O procurador deixou claro que existem pessoas que estão tramando em segredo contra a Lava Jato: "A ideia é manipular a Justiça e "cortar as asas' do Ministério Público", reiterou Dallagnol. De acordo com ele, os políticos corruptos querem criar uma "proteção" de forma que a Lava Jato não possa atingi-los e o objetivo dos flagrados nos grampos é abafar a Operação.

Publicidade
Publicidade

Nos áudios se nota que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), quer mudar a delação premiada, dessa forma atrapalharia uma fonte importantíssima de investigação; o senador Romero Jucá (PMDB-RR) cita as palavras "estancar a sangria" com um novo governo. Jucá chegou a ser ministro de Temer, mas foi exonerado depois desses envolvimentos.

Contra-ataque

Segundo Dallagnol está ocorrendo um contra-ataque à Lava Jato através de medidas que foram criadas com esse intuito. Por exemplo: mudanças na lei de delação premiada, projeto de lei que promove a extensão de foro privilegiado para ex-presidentes e a nova lei que permite a legalização de recursos no exterior, com o pagamento de multas. "Querem estancar a Lava Jato", ressalta o procurador.

Inimigos

Deltan Dallagnol disse que os inimigos da Lava Jato crescem a cada dia e que a única defesa da Operação é a sociedade.

Publicidade

O projeto das dez medidas contra a #Corrupção, sugerido pela força-tarefa, teve 2 milhões de assinaturas, porém, está parado no Congresso. Ainda é necessário a assinatura de Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara, para depois entrar em debate. O procurador falou que a força-tarefa continuará avançando e será sempre independente de qualquer partido político. #Crise-de-governo