O senador Romário (PSB-RJ) enviou uma carta a seus eleitores e seguidores no Facebook, na última quarta-feira (1º), em que justifica uma declaração dada ao jornal O Globo. Segundo a matéria do periódico carioca, Romário teria dito que novos fatos políticos iriam influenciar seu voto final no dia da votação do #Impeachment. Segundo o baixinho, essa declaração não foi compreendida por todos e ele precisava se fazer entendido. 

Romário tentou deixar claro em seu texto que ainda não possui uma posição definida sobre o afastamento em definitivo da presidente Dilma Rousseff (PT), porém, não polpou críticas a gestão do interino, Michel Temer (PMDB). 

Ele afirmou que seu voto favorável ao afastamento por até 180 dias da presidente Dilma foi pelo "conjunto da obra", não apenas pelas pedaladas fiscais, e que seu voto final seguirá a mesma linha de raciocínio.

Publicidade
Publicidade

Segundo disse o senador pelo Rio de Janeiro, o início da gestão Temer não foi "como deveria ser". 

Romário elenca uma série de críticas as primeiras medidas tomadas pelo interino. A primeira delas é o não cumprimento da promessa de montar um ministério de "notáveis", como foi amplamente divulgado nos dias em que antecedia a votação no Senado. O senador condenou que, ao invés de "notáveis, foram nomeados "ministros investigados". Outra medida que foi criticada por Romário foi a incorporação de alguns ministérios por outros, principalmente os sociais e de minorias.

Para finalizar suas explicações, ele pontuou que o voto dado era com um propósito, e que o segundo, ainda a ser proferido, é completamente diferente. Haverá todo um trâmite de investigações e debate, e só depois ele poderá chegar a uma conclusão de como irá votar. 

Saída da Comissão do Impeachment

O senador ainda se justificou sobre a decisão de ceder sua vaga de titular na Comissão Especial do Impeachment no Senado.

Publicidade

Romário afirmou que tem outras atribuições dentro da Casa Legislativa, como a presidência da Comissão de Educação e da CPI do Futebol. 

No lugar de Romário, assume a vaga a senadora Lúcia Vânia (PSB-GO). 

Leia a carta na íntegra.

#Senado Federal #Dentro da política