A Procuradoria Geral da República, representada pela pessoa de Rodrigo Janot, recomendou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que seja enviada ao juiz da primeira instância de Curitiba, Sérgio Moro, a denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre a tentativa de obstruir as investigações da Operação #Lava Jato.

Na denúncia, #Lula é acusado de tentar evitar que o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró fizesse acordo de delação premiada.

Segundo o Jornal Folha de São Paulo, nos próximos dias o ministro Teori Zavascki deverá acatar o pedido de Janot e enviar as investigações relativas ao ex-presidente ao  juiz Sérgio Moro.

Denúncia também inclui o ex-senador Delcídio do Amaral

O ex-líder do PT no Senado, Delcídio do Amaral (sem partido - MS), também é um dos acusados na tentativa de obstrução das investigações da Operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

A denúncia de Lula e Delcídio aconteceu logo no início de maio. Na época, Delcídio ainda era senador da República e por esse motivo, tinha foro privilegiado e só poderia ser investigado por ministros do Supremo Tribunal Federal.

Os outros envolvidos nas investigações são o ex-chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício Bumlai.

A acusação diz que os cincos envolvidos no esquema tentaram comprar o silêncio de Cerveró, pagando a ele uma quantia de R$ 250 mil.

Lula ainda terá que responder a outros três inquéritos

O ex-presidente ainda terá que responder a outros três inquéritos. O primeiro inquérito aberto acusa Lula de ser proprietário de um sítio em Atibaia, o segundo sobre o tríplex do Guarujá e o terceiro, o maior inquérito da Operação Lava Jato, que investiga diversos políticos, doleiros, empresários, lobistas e ex-ministros por praticar crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e #Corrupção.

Publicidade

Com a palavra a assessoria de Lula

A assessoria de imprensa do Instituto Lula respondeu que o ex-presidente Lula já esclareceu ao Ministério Público que todas as afirmações do réu confesso, Delcídio do Amaral, são falsas, e que Lula “sempre agiu conforme determina a lei”.

Em relação à denúncia apresentada por Rodrigo Janot, a assessoria afirmou que Lula também já respondeu os questionamentos da denúncia no dia 27 de maio, perante o Supremo Tribunal Federal.