Nessa quarta-feira (08), o presidente interino, #Michel Temer, se reunirá com um grupo composto por mais de 100 empresários de diversos setores produtivos no Palácio do Planalto. A intenção de Temer será ouvir sugestões que possam agregar valor para que o país saia da grave #Crise econômica que se encontra.

Esse será o primeiro compromisso voltado diretamente às lideranças empresariais desde que o pemedebista assumiu a presidência.

Temer não participará sozinho desse encontro, terá, ao seu lado, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. No encontro, estarão representantes da indústria, comércio, agricultura, alimentos e serviços, setores estratégicos e muito importantes da economia.

Publicidade
Publicidade

Encontro colocará em pauta projetos que serão debatidos no Congresso Nacional

A expectativa é que o encontro traga à tona matérias que já estão em tramitação no Congresso Nacional.  O objetivo do debate será o de esclarecer quais são as medidas, que já estão em tramitação, para que seja cobrada uma maior celeridade dos parlamentares na aprovação dessas medidas consideradas benéficas, para a retomada do crescimento econômico e da geração de emprego.

A agenda do encontro prevê um almoço no Palácio do Jaburu, residência oficial do presidente interino, em Brasília.

Em entrevista, Meirelles afirmou que Brasil só volta a crescer se aprovar medidas econômicas

Em entrevista, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles afirmou que a grave crise econômica decorrente no país foi gerada por um desequilíbrio fiscal.

Publicidade

Segundo ele, para que o país volte a crescer será necessária uma força-tarefa no Congresso Nacional para que os parlamentares aprovem medidas de interesse do governo.

Meirelles afirmou que o país tem potencial para voltar a crescer e para voltar a gerar emprego. Mas não quis estipular prazos em relação à recuperação da economia.

Ele afirmou também que será fundamental a aprovação do projeto que cria um teto para o crescimento dos gastos públicos. Em sua opinião, se for aprovado esse projeto, a confiança em relação à economia brasileira voltará.

  #Desemprego