Após ser citado em delação do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, como beneficiário de propina, Henrique Eduardo Alves comunicou o seu afastamento do cargo de ministro do Turismo. Segundo Machado, Alves teria recebido R$ 1,55 milhão entre 2008 e 2014. Para informar sua demissão, o agora ex-ministro endereçou uma carta ao presidente interino #Michel Temer.

Nela, alegou que o "momento" do país requer atitudes "pessoais" em prol de "um bem maior". Segundo Alves, sua atitude de se afastar do governo é no sentido de "não criar constrangimentos". No segundo mandato do #Governo Dilma Rousseff, Alves também havia ocupado a pasta do Turismo e pediu demissão um dia antes do desembarque do PMDB da base aliada de Dilma.

Publicidade
Publicidade

Em resposta ao documento enviado por Alves, Temer também remeteu uma carta de agradecimentos ao seu ex-ministro, que postou o conteúdo em sua conta no Twitter. O presidente interino agradeceu valores como "lealdade" e "dedicação", e ressaltou as boas relações que sempre mantiveram.

"Sua passagem pelo Ministério do Turismo foi importantíssima e gerará um longo legado, como poderemos comprovar nas nossas Olimpíadas do Rio de Janeiro", escreveu Michel Temer, fazendo alusão aos Jogos Olímpicos, que se iniciam no dia 5 de agosto.