A denúncia feita contra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que foi encaminhada para o ministro Teori Zavascki, relator da Operação #Lava Jato no Supremo Tribunal Federal foi enviada à justiça de Brasília ao invés de ser enviada ao juiz da 1ª instância de Curitiba, Sérgio Moro.

A denúncia feita por Janot foi a da tentativa de Lula de obstruir as investigações da operação Lava Jato, tentando impedir que o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, fizesse o acordo de delação premiada com a Polícia Federal.

Zavascki entendeu que a peça jurídica não tem nenhuma conexão direta com a Lava Jato, e por esse motivo não há a necessidade de enviar as investigações para Curitiba, para as mãos do juiz Sérgio Moro.

Publicidade
Publicidade

A decisão contrariou Janot, que entendia que as investigações deveriam ser enviadas para Curitiba devido à perda de foro privilegiado por parte do ex-senador Delcídio do Amaral.

O ministro também alegou que a tentativa de obstruir a investigação ocorreu em Brasília e por tal motivo, deve ser investigada na seção judiciária de Brasília. Ele também entendeu que o envio à Brasília é pertinente porque outros inquéritos envolvendo o ex-presidente também tramitam na corte.

Denúncia de Janot afirma que Lula teve papel central na trama da obstrução da Lava Jato

A denúncia feita pelo Procurador Geral da República acusa Lula de ter tido o papel central na trama que envolveu o ex-senador Delcídio do Amaral, seu assessor Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o pecuarista e amigo de Lula, José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício, e o ex-advogado de Nestor Cerveró, Edson Ribeiro.

Publicidade

A justiça se baseia numa gravação feita pelo filho de Nestor Cerveró, na qual o ex-senador aparece oferecendo uma grande quantia em dinheiro e uma rota de fuga para fora do Brasil para Nestor Cerveró. Em troca dos favores, Cerveró se calaria e não faria acordo de delação premiada visando a diminuição de sua pena.

Lembrando que Lula ainda terá que se explicar à justiça em outros inquéritos como o que investiga a propriedade em Atibaia e o triplex no Guarujá, em troca de favores e influência. #Corrupção