Um grupo de técnicos do Senado Federal foi responsável por apresentar uma perícia do processo de #Impeachment que corre naquela Casa Legislativa. O relatório foi apresentado na última segunda-feira (27) e esquentou o debate, dando argumentos para ambos os lados.

Veja o que dizem os pró e contra impeachment

Pró

A debutada Simone Tebet (PMDB-MS) declarou que a perícia confirma o descumprimento da meta fiscal e a edição de decretos sem a autorização do Congresso.

Segundo o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lina (MG), as convicções ficaram mais "robustas" e "fortalecidas" após a perícia. Porém, não deixou de criticar o parecer, afirmando que é "inconcebível" imaginar que a presidente da República não tenha tomado conhecimento das pedaladas fiscais, como o relatório sugere.

Publicidade
Publicidade

O senador José Medeiros (PSD-MT) foi mais áspero em sua declaração. Ao ironizar o fato de não ter a assinatura de Dilma nas ditas pedaladas, ele questionou: "Já viu fraudador assinar fraude?".

Defesa

A própria presidente Dilma opinou sobre a perícia feita pelos consultores do Senado. Ela afirmou que as acusações que recaem sobre ela não caracterizam crime sobre a polêmica do Banco Safra. Quanto aos decretos, Dilma afirmou que o relatório pericial demonstra que ela não teve nenhum participação "dolosa".

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) afirmou que "a denúncia se desmonta" após a apresentação do relatório, que afirma que não houve interferência da presidente Dilma na ação das pedaladas fiscais. 

O senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que é necessário "participação direta" da presidente para se condenar por crime de responsabilidade fiscal.

Publicidade

Ele disse que a denúncia sempre foi frágil, e que agora foi possível perceber o "pretexto" para poder afastar uma presidente eleita.  #Dilma Rousseff #Dentro da política