Horas depois de #Eduardo Cunha formalizar a sua renúncia do cargo de presidente da Câmara, onde apresentou críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT) e chegou a se emocionar, o interino Waldir Maranhão definiu e tornou público os próximos passos para a escolha do sucessor do peemedebista.

Segundo informações divulgadas pela Secretaria-Geral da Mesa Diretora, a eleição que determinará o parlamentar substituto de Cunha ocorrerá na próxima quinta-feira, dia 17 de julho, em votação que se iniciará a partir das 16h. A votação se dará de forma secreta, com votos em sistema eletrônico.

Qualquer deputado federal com mandato em vigência está apto em disputar o cargo.

Publicidade
Publicidade

A partir da decisão de Maranhão, os parlamentares interessados na presidência devem formalizar os seus processos de candidatura até a próxima quarta-feira, às 12h, justamente no dia que antecede a votação.

No entanto, para que a eleição possa transcorrer, será necessário o quórum mínimo para a realização do pleito. Neste caso, a maioria dos deputados deverá estar presente para validar a sessão, isto é, 257 dos 513 parlamentares. Só sera eleito em primeiro turno o candidato que obtiver maioria absoluta. Se nenhum dos postulantes atingir a maioria, a disputa corre para o segundo turno.

É válido ressaltar que, apesar da eleição marcada para quinta-feira cumprir o regimento normal da Câmara, o mandato do novo escolhido só terá vigência até fevereiro do ano de 2017, quando seria finalizado o tempo de presidência de Eduardo Cunha, que renunciou nesta quinta-feira.

Publicidade

A partir dali, uma nova eleição será realizada para determinar um novo presidente. #Câmara dos Deputados