Os dias finais do mandato parlamentar do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), estão chegando. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente tampão da Casa até fevereiro, disse na última terça-feira (19) ser possível votar a cassação de seu antecessor a partir da segunda semana de agosto.

Após ser eleito, Maia declarou que resolver o caso Cunha será sua prioridade. Segundo ele, o problema que pode prolongar um pouco mais o mandato do peemedebista é a falta de quórum para votação. O novo presidente afirmou que acha ser difícil acionar o plenário na primeira semana de agosto, mas que tem como objetivo conseguir quórum na segunda semana, e assim resolver de uma vez por todas esse processo que se arrasta desde outubro.

Publicidade
Publicidade

Durante reunião com líderes de bancada, Maia cogitou os dias 9 e 10 como possíveis datas, porém, preferiu não fechar nenhum dia certo. A decisão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) de recusar o último recurso de Cunha ainda precisa ser lida em plenário e publicada no Diário Oficial, na sequência, deverá ser cumprido um prazo de dois dias, só depois a matéria estará liberada para votação.  #Eduardo Cunha #Câmara dos Deputados #Dentro da política