O mundo está a poucos dias de assistir o evento esportivo mais importante da face da Terra, os jogos Olímpicos. E como todos sabemos, a cerimônia de abertura dos jogos sempre é um evento marcante e inesquecível e sempre existe a participação de chefes de estado de diversos países, inclusive do país anfitrião dos jogos. Mas o Brasil, devido à grave crise política que se encontra e também por medo de mostrar ao mundo manifestações contrárias, o presidente interino #Michel Temer deve fazer um discurso relâmpago, para evitar vaias e manifestações contrárias ao governo.

Outra grande expectativa que está sendo criada é sobre a possível participação da presidente afastada, Dilma Rousseff que afirmou, em entrevista a um jornal português, que ainda não recebeu nenhum convite oficial do Comitê Olímpico Internacional e nem do Comitê Brasileiro para participar da cerimônia de abertura.

Publicidade
Publicidade

Na entrevista, Dilma também não garantiu que irá participar dos jogos, caso receba o convite nos próximos dias.

“Vou fazer uma avaliação das condições em que vou, não irei em condições que me diminuam”.

Dilma também afirmou que o mais correto e mais justo seria que ela fosse convidada a participar, uma vez que foi em seu governo que houve a seguridade dos recursos necessários para a realização do evento.

Se caso for à cerimônia, Dilma deverá dividir a tribuna com Temer

A grande cerimônia de abertura que está prevista para ocorrer no dia 5 de agosto, às 20 horas, deverá expor, ao mundo, a imagem de dois presidentes rivais dividindo o mesmo espaço, a Tribuna de Honra. O espaço mais importante e que abriga os principais chefes de estado deverá ser a tribuna de honra, que se contar com a participação de Dilma, deverá expor ao mundo a imagem de dois inimigos declarados, #Dilma Rousseff e Michel Temer.

Publicidade

Outra figura política importante que também deverá estar nessa tribuna, é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma já concedeu declarações que acha importante a presença de Lula no evento devido ao seu reconhecimento mundial e por ser um dos militantes na luta para que as Olimpíadas fossem realizadas no Rio de Janeiro. #Rio2016