Na contagem regressiva para a abertura dos Jogos Olímpicos de 2016, a presidente afastada do Brasil, #Dilma Rousseff, afirmou oficialmente o que a imprensa já especulava: ela não irá à cerimônia que dará a largada para a competição mais antiga do mundo.

Para justificar a sua ausência, Dilma ressaltou que toda a estrutura para a realização das Olimpíadas partiu dela e de Lula, enquanto eram os presidentes em exercício no Brasil. Entretanto, afirma que quem assumirá todo o ‘mérito’ pelo trabalho investido será o governo de seu vice-presidente, Michel Temer, que, segundo Rousseff, não teve nenhuma participação na organização da Rio 2016, ao contrário dela que participou diretamente de todo o processo preparatório da competição em território nacional.

Publicidade
Publicidade

Para finalizar, Dilma afirmou que não irá ao evento como uma espectadora, quando na verdade é a protagonista. A #entrevista foi conferida à Radio Educadora da cidade mineira de Uberlândia. Instantes depois, a presidente usou as redes sociais para reforçar as suas palavras durante a entrevista.

Há alguns dias, Dilma já havia deixado subentendida sua ausência na cerimônia, pois disse que não queria uma posição secundária nos Jogos Olímpicos. Lula também confirmou que não estará presente no evento do dia 5 de agosto.

O país está preparado para as Olimpíadas

Ainda falando sobre os Jogos Olímpicos, Dilma afirmou que o país está preparado para sediar grandes eventos, assim como esteve na Copa do Mundo de 2014 e na Jornada Mundial da Juventude.

Publicidade

A presidente afastada ressaltou que as pessoas que trabalharam com ela, e que cuidavam da segurança do país durante grandes eventos, não foram substituídas no novo governo e que por isso o Brasil está preparado para oferecer segurança, inclusive contra o terrorismo.

Presidente afastada atribui ao seu governo a melhora na economia

Durante a entrevista, a petista foi questionada sobre a situação econômica do país, oportunidade em que afirmou que a atual tendência de melhora gradativa da economia, e recuperação de indústrias diversas, é fruto de investimentos de seu governo. Dilma afirma ser impossível a melhora de um país em dois meses, isto é, desde que Michel Temer está na presidência. #Rio2016