Uma circunstância inesperada fez com que a presidente Dilma Rousseff voltasse às pressas ao Palácio do Planalto nesta sexta-feira (15). A visita não foi para falar com nenhum dos servidores da Casa, nem muito menos encontrar o presidente interino Michel Temer, que seguiu em viagem para São Paulo na própria sexta-feira, como de costume, pois a sua família (primeira dama e o seu filho) ainda não mudaram para Brasília. O motivo se deu em decorrência de uma sensação dolorosa de 'dor nos dentes', a qual a presidente não conseguiu aliviar. Essa foi a segunda vez que Dilma compareceu ao Planalto após o seu afastamento, ocorrido no dia 12 de maio, em função do processo de impeachment que tramita no Senado Federal.

Publicidade
Publicidade

O propósito foi inadiável. De acordo com a revista "VEJA", Dilma estava "preocupada e com receio de precisar refazer um canal", tudo porque estava a "poucas horas de viajar para Teresina (PI)", onde militantes do Partido dos Trabalhadores (#PT) aguardavam, para aquela noite, a sua chegada, a fim de participar de um movimento público em favor da "democracia", afirmou a reportagem.

Rousseff procurou a sua dentista, que sempre se dispôs a atendê-la no departamento do Serviço Médico do Planalto do Planalto. A Presidente permaneceu no consultório pelo período de 35 minutos aproximadamente, em que foi tranquilizada pela profissional, pois não foi preciso realizar o procedimento de canal (realizado nos dentes quando a polpa está infeccionada ou até mesmo morta. A polpa é o tecido responsável pela produção da dentina).

Publicidade

Ainda com a dentista, Dilma realizou uma série de radiografias e aproveitou a ocasião para realizar o procedimento de limpeza nos dentes. Ao final, demonstrando pressa para o compromisso agendado, argumentou, segundo a revista: “Vocês conhecem alguém que goste de ir a dentista?”, indagou. “Eu confesso que tenho medo”, afirmou a revista sobre as declarações de Rousseff.

Logo quando foi afastada, Dilma esteve no Palácio do Planalto com a mesma preocupação e realizou todo o tratamento necessário. Importante ressaltar que o serviço médico não está vinculado ao prédio principal, ou seja, o departamento médico fica no anexo (bloco) ao lado do gabinete em que funciona a Vice-Presidência da República, local onde Temer ficava. #Governo #Dilma Rousseff