Apesar de aliados de Eduardo Cunha afirmarem que ele vai renunciar à presidência da Câmara, ele ainda não emitiu publicamente qualquer intenção de deixar o cargo.

O cenário atual é que há pelo menos seis candidatos à cadeira de #Eduardo Cunha, essa conta quem faz são os próprios parlamentares.

Existem os seguintes grupos:

  • De um lado os partidos do ''centrão'', que é aquele bloco de partidos que é aliado do governo do presidente interino Michel Temer, como também é aliado do deputado afastado Eduardo Cunha.
  • Do outro lado temos os partidos da antiga oposição, como o PSDB, o DEM, o PPS, etc. Esse grupo inclusive tem conversado, tem feito articulações com o Partido dos Trabalhadores (PT) e o PCdoB. Eles querem lançar um candidato contra o ''centrão'', porém ambos são aliados do Palácio do Planalto.

O governo quer um candidato de consenso, mas isso não será possível, já que o que tem hoje são esses seis candidatos, porém alguns parlamentares já comentaram que poderão ser oito.

Publicidade
Publicidade

Candidatos mais cotados à cadeira da Câmara

Os nomes mais cotados para ocuparem o cargo mais alto na Câmara são Rogério Rosso, que é o líder do PSDB em Brasília. Ele é aliado do deputado Eduardo Cunha, mas também tem alguma simpatia de integrantes do governo, e o deputado Rodrigo Maia que é do DEM, do Rio de Janeiro. 

Esses candidatos já estão se articulando, de olho na vaga de Eduardo Cunha, mas para isso a presidência da Câmara tem que estar vaga, e nesse caso existem duas conclusões:

  • O desfecho do caso envolvendo o deputado Eduardo Cunha, pela cassação do mandato dele;
  • O outro modo seria a articulação da renúncia dele à presidência da Câmara, os aliados já falaram várias vezes que ele admite renunciar, mas essa situação chegou a um impasse de ontem para hoje, já que segundo seus aliados, ele disse que quer garantias de deputados em troca dessa renúncia à presidência, porém os parlamentares não querem dar nenhum tipo de garantia.

O que seriam essas garantias?

Essas garantias seriam salvar o Eduardo Cunha no CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) ou até tentar garantir, por ventura, que ele consiga influenciar de alguma forma o seu sucessor.

Publicidade

Nos próximos dias teremos mais informações sobre essa disputa à cadeira da Câmara, o que temos certeza é que ainda teremos muitas notícias sobre esse caso. #Câmara dos Deputados