Na iminência de uma nova eleição para a presidência da Câmara, o presidente interino da República, #Michel Temer, enviou uma carta aberta aos deputados na qual se dedica a reforçar a manutenção dos programas sociais do #Governo e tecer críticas à gestão da presidente afastada, Dilma Rousseff.

Segundo o Estado de S. Paulo, o envio do documento teria sido motivado pelas críticas recebidas da oposição quanto ao encerramento das políticas sociais do governo federal. No comunicado, o presidente em exercício procurou dar destaque a dois programas: o Bolsa Família e o Fies.

Quanto ao primeiro, Temer lembrou que Dilma havia prometido 9% de aumento em maio, pouco antes de seu afastamento, e ele elevou essa porcentagem a 12,5%, índice acima do registrado pela inflação de um ano para cá.

Publicidade
Publicidade

Junto a isso, o presidente interino também anunciou que deverá ocorrer uma atualização cadastral dos beneficiados pelo programa, a fim de que o benefício não seja desviado e seu destino seja efetivamente àqueles que se enquadram como beneficiários do Bolsa Família.

Em relação ao Fies, o peemedebista ressaltou a ampliação de 50% em relação ao que foi acordado no primeiro semestre deste ano por ter autorizado um investimento de R$ 450 milhões que resultou na criação de 75 mil novas vagas. Temer afirmou que isso só foi possível graças a uma readequação orçamentária que recuperou cerca de R$ 4,5 bilhões dos R$ 6 bilhões cortados pela gestão petista. Com isso, o governo pôde dar conta dos compromissos para a segunda metade deste ano, algo que não estaria na previsão do governo Dilma. #Câmara dos Deputados