A poucas semanas do julgamento da presidente afastada #Dilma Rousseff, a rede televisão Al Jazeera, principal veículo de comunicação do mundo árabe, publicou em seu site, no último sábado (2), uma entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na qual o mesmo é questionado sobre a validade do impedimento à candidata eleita por voto.

Com o título “Is Brazil's Dilma Rousseff a victim of a coup?” – que, em tradução livre, significa “Dilma Rousseff é vítima de um golpe?” – a entrevista foi conduzida por Mehdi Hasan, jornalista britânico que apresenta o programa “UpFront” na emissora. “O maior e mais rico país da América Latina, o Brasil, está em uma maciça crise econômica e política”, define Hasan ao abrir a entrevista.

Publicidade
Publicidade

Fernando Henrique afirma que o processo de impeachment de Dilma é, de fato, legal, pois a presidente “agrediu a constituição em questões fiscais e usando dinheiro sem autorização do Congresso”. Rapidamente, o apresentador devolve a afirmação de FHC questionando se o que fez o ex-presidente em 2001 e 2002 também não foi “crime político”. “Você é acusado de ´pedalar’ em torno de US$ 300 milhões ao ano”, argumenta.

APOIO QUESTIONÁVEL

Em seguida, Hasan questiona a credibilidade dos líderes que encabeçaram o impedimento à presidente. Ele cita a inelegibilidade do presidente em exercício Michel Temer e os milhões de reais recebidos em propina por Eduardo Cunha e Renan Calheiros. “Algum desses têm credibilidade para impedir Dilma?”, pergunta. Logo após, Fernando Henrique é questionado se também apoia um possível impeachment do atual presidente, que teve o nome ligado ao escândalo da Petrobras.

Publicidade

“Não há base política para isso”, responde.

Ainda sobre o desvio de dinheiro ocorrido no escândalo da Petrobras, FHC se irrita ao ser questionado se “alguém no seu partido [PSDB] recebeu a quantia de US$ 100 milhões”. “Não! E eu protesto! Isso é mentira”, esbraveja o ex-presidente em frente ao computador.

Gravações

O tema da questão seguinte de Hasan foi a conversa gravada em que o ministro Romero Jucá “basicamente conspira para tirar Dilma e colocar Temer”. “O processo está em andamento, a justiça é independente e eles estão fazendo o que precisa ser feito”, minimizou o ex-presidente.

Fernando Henrique finaliza dizendo que “é uma pena a que o governo Brasil tenha sido minado pela corrupção”. “Eu preferia ter uma nação melhor para mostrar ao mundo”, conclui.

Assista a uma versão legendada da entrevista:

#Lava Jato