Em entrevista à Rádio Educadora, de Uberlândia, Minas Gerais, nesta quarta-feira, dia 27, a presidente afastada Dilma Rousseff fez críticas diretas a seu ex-vice e atual substituto na presidência da Republica, #Michel Temer. Segundo a mesma, a atual melhora da situação econômica do país,anunciada nos últimos dias, é devido a uma base relativamente forte de sua situação econômica e que foi formada ao longo dos últimos anos, durante a gestão do seu #Governo e de seu antecessor, o ex-presidente Lula

Dilma refuta a tese de que o governo Temer tenha alguma importância na melhora da economia

Questionada sobre a influência do atual governo na melhora da economia, Dilma não hesitou em negar tal contribuição.

Publicidade
Publicidade

Segundo ela, o país é dotado de uma estrutura econômica bastante forte, que foi conseguido ao longo do seu governo. Ela citou ainda que as reservas econômicas brasileiras somam, atualmente, a quantia de US$ 376 bilhões.  Segundo petista, a solidez da economia brasileira jamais poderia ter sido formada em apena dois meses de um governo provisório. Neste sentido, ela citou o fato do atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles reconhecer recentemente tal condição favorável ao Brasil, onde a poupança externa brasileira  favorece tal condição. Além disto,  o titular citou como favorável o retorno dos investimentos estrangeiros na economia nacional. 

Segundo Dilma, uma boa reserva internacional é a responsável imediata para que crises como a que pode ser provocada com a saída do Reino Unido da União Europeia não afetem a economia interna brasileira.

Publicidade

Mais uma vez, ela ressaltou que tal condição foi adquirida ainda no governo Lula e veio a consolidar-se nos seu mandato.

Dilma se diz vítima da imprensa brasileira

A presidente afastada aproveitou a ocasião para enfatizar que seu governo vinha sendo vítima constante de uma campanha promovida pela própria imprensa, que pregava a deterioração da economia brasileira. A frequente divulgação de uma falsa realidade contribuiu diretamente para que se impedisse de se enxergar claramente a melhoria das finanças públicas, com a queda do ciclo inflacionário e a crescente recuperação do setor industrial.

Ainda como exemplo da organização econômica brasileira, Dilma cita o fato do país ser a sede dos jogos olímpicos neste ano de 2016. Ela afirmou que, assim como as Olimpíadas, tanto a Copa do Mundo, quanto a Jornada Mundial da Juventude, puderam ser realizados no Brasil e todos possuem em comum o fato de terem sido organizados ainda no seu governo. Isto mostra a capacidade da nação em oferecer tanto uma infraestrutura quanto um esquema de segurança que permita a tranquilidade de grandes eventos que sejam o foco da atenção internacional. #Dilma Rousseff