O Movimento Contra a Corrupção Eleitoral, Instituto Cidade Democrática e Transparência Internacional lançaram uma petição pública pedindo para que os deputados federais realizassem uma eleição aberta para a presidência da Câmara dos Deputados. O documento contava com 398 assinaturas, das 500 que o projeto objetiva ter, até às 21h desse sábado (9). 

As entidades apontam duas medidas que consideram primordiais para que a eleição à presidência da #Câmara dos Deputados seja transparente. 

- Produção e publicização de documento que contenha os planos e diretrizes de cada candidato

- A realização de debate público entre os candidatos registrados

Além desses dois pontos, as entidades pedem que os candidatos à presidência da Câmara se comprometam a implementar um "Parlamento Aberto", a publicação de da pauta do plenário com uma semana de antecedência para que a população esteja ciente do que será debatido e votado, apoio a pautas que tratem do combate à corrupção e à reforma política.

Publicidade
Publicidade

Por fim, pedem a realização semanal de sessões plenárias com pautas construídas pela sociedade civil. 

Além da petição online, as entidades também lançaram uma carta aberta aos deputados. No documento destinado aos parlamentares, as entidades afirmam que o cargo de presidente da Câmara "tem enorme poder", por essa razão, é mais do que necessário que os candidatos a essa vaga passem por um processo de transparência, tanto de suas propostas como de garantias para ações futuras. 

Caso queira assinar a petição e ler a carta na íntegra, basta clicar aqui!

Quem são os candidatos?

Até o sábado, seis candidatos já haviam protocolado suas candidaturas junto à Secretaria da Mesa Diretora. Além dos nomes já oficializados, alguns outros são especulados e devem formalizar essa semana, como, por exemplo, Rogério Rosso (PSD-DF), preferido pelo Planalto e por Cunha, Rodrigo Maia (DEM-RJ), nome apoiado por Lula, e Fernando Giacobo (PR-PR), 2º vice-presidente da Câmara e responsável por assumir a presidência quando Waldir Maranhão (PR-MA) não podia presidir as sessões.

Publicidade

Além dos três candidatos mais esperados, a filha de Roberto Jefferson, delator do mensalão, Cristiane Brasil (PTB-RJ), já anunciou que irá se candidatar. Outro nome que ainda irá oficializar sua candidatura é Beto Mansur (PRB-SP), outro integrante da mesa diretora.

Conheça os seus candidatos que já oficializaram suas candidaturas:

Fausto Pinato (PP-SP): foi o primeiro candidato oficial. Pinato foi o primeiro relator do processo contra Cunha no Conselho de Ética, mas, após uma manobra de Cunha, foi destituído do cargo.

Carlos Guaguim (PTN-TO): Esse é o primeiro mandato de Guaguim, deputado que não possui tanta representatividade na casa, tanto por falta de experiência como por falta de apoio ao seu partido

Carlos Manato (SD-ES): Corregedor da Câmara, o deputado não é bem quisto o suficiente entre os companheiros de Casa, muito por seu cargo.

Marcelo Castro (PMDB-PI): Em seu quinto mandato, Castro foi ministro da Saúde de Dilma. Contra ele pesa o fato de ser do PMDB, e seu partido ainda não ter fechado questão quanto ao nome que irá apoiar. 

Fábio Ramalho (PMDB-MG): Em seu terceiro mandato, o deputado peemedebista sofre com a mesma questão de seu correligionário Marcelo Castro.

Publicidade

Heráclito Forte (PSB-PI): Em seu quinto mandato, Fortes já foi senador. É considerado um dos parlamentares mais experientes na Câmara. #Eduardo Cunha #Dentro da política