Diante do cenário político conturbado do Brasil, com #Michel Temer sendo o presidente interino e Dilma Rousseff, a presidente de fato eleita pelo povo, aguardando a votação do seu impeachment pelo Senado, parece que mais uma tempestade começa a se formar no horizonte do país, a saber: o convite formal para com Sebastião Roberto Peternelli Júnior, de 61 anos de idade, que é general de reserva do exército, para ser o presidente da FUNAI – Fundação Nacional do Índio. A escolha pelo nome de Peternelli partiu do PSC - Partido Social Cristão - e o mesmo disse ao jornal Folha de São Paulo que aceitou de pronto a indicação e só espera a confirmação formal do governo de Michel Temer. 

Como alguns outros políticos e representantes ligados ao governo interino, Peternelli também é uma figura controversa, tanto é, que em 2015, o militar veiculou em uma página da internet uma imagem que homenageava o fatídico golpe da junta militar no Brasil, no ano de 1964, com a seguinte frase: "52 anos que o Brasil foi livre do maldito comunismo.

Publicidade
Publicidade

Viva nossos bravos militares! O Brasil nunca vai ser comunista". 

O PSC disse que a indicação do seu filiado militar foi “bem recebida”, chegando ao ponto de afirmar que até a ABIN - Agência Brasileira de Inteligência - já homologou com um sim o nome de Peternelli. Sebastião Roberto e mais 8 deputados, como o pastor evangélico Marco Feliciano (SP), Jair Bolsonaro (RJ) e seu filho Eduardo (SP) compõem uma das bancadas mais ortodoxas no Congresso, justamente a do PSC. 

Em 4 de julho, Sebastião concedeu entrevista à Folha, sendo tácito ao dizer que não falará sobre os seus objetivos quanto à política indigenista e nem sobre o conhecimento adquirido ao longo de sua vida profissional diante desse tema. Peternelli adotou a mesma postura de silêncio no que diz respeito ao golpe de 1964 e que só se pronunciará sobre a sua postagem, caso seja de fato nomeado ao cargo de presidente da FUNAI. 

Vale frisar que, nas cidades em que o General serviu - Campinas (SP), Resende (RJ), Rio de Janeiro, São João del-Rei (MG), Brasília, Taubaté (SP), São Paulo e Pelotas (RS), não existem comunidade indígenas de expressão, sequer quantitativamente falando. 

CAMPANHA 

Em 2014, Peternelli foi presença marcante nas redes sociais, na campanha pela eleição do senador Aécio Neves (PSDB-MG), onde aconselhou que Aécio abordasse ativamente os casos envolvendo corrupção no governo de Rousseff e a provável “infiltração cubana" no programa conhecido como Mais Médicos. 

Outra figura controversa, que é o pastor Everaldo, presidente nacional do PSC, ao ser indagado pela imprensa se tinha proposto algum nome, especialmente o do militar, para ser presidente da FUNAI, esse desconversou ao sentenciar que dialoga com o governo unicamente acerca de "assuntos de interesse do país" e nunca sobre cargos.

Publicidade

Cabe à sociedade julgar se a resposta do pastor Everaldo corresponde à mais pura e tangível verdade. #Dilma Rousseff #Crise-de-governo