O presidente da República interino, Michel Temer, já estabeleceu um objetivo até outubro desse ano: não deixar que disputas municipais entre partidos da base aliada alcancem seu governo. A ideia de Temer é muito simples: ele resolveu que não irá participar de nenhuma campanha para prefeito, não irá subir em nenhum palanque nessa próxima eleição municipal, e pediu que fosse feito um estudo sobre como estão as situações de seus aliados no pleito de outubro.

Temer tem um perfil apaziguador já conhecido desde os tempos em que foi presidente da Câmara dos Deputados. E é justamente apostando nessa sua forte característica que o interino quer montar sua base de governo bastante forte e coordenada.

Publicidade
Publicidade

Esse "estudo" pedido por Temer pretende que os aliados elejam o maior número de prefeitos e vereadores possíveis sem acirrar rivalidades dentro da base que possam sair do âmbito municipal e chegar a esfera federal. 

Além de querer inflar sua base nos municípios, essa coalizão do Executivo pretende minar mais ainda o PT, diminuindo mais sua representatividade, não apenas na Câmara dos Deputados e Senado, mas também na base, lá nos municípios. A ideia é minguar o Partido dos Trabalhadores e implementar uma derrota impactante no primeiro pleito pós impeachment. #Michel Temer #Dentro da política