O vídeo do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) literalmente “se jogando para a galera” está “bombando” nas redes sociais e fazendo muito sucesso entre os simpatizantes do polêmico deputado.

Como um astro de rock, o deputado subiu no carro, discursou e “tentou” se jogar para o público assim como fazem os grandes astros da música durante um evento de apoio a sua possível candidatura à presidência, realizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Mas a tentativa do deputado não foi muito bem compreendida pelo público que o seguia, pois o deputado de 61 anos acabou se “esborrachando no chão”.

Talvez o público não tenha compreendido o desejo do deputado e não se agrupou como deveria para sustentar o deputado nos braços.

Publicidade
Publicidade

Confira o vídeo da queda de Bolsonaro no chão no evento realizado na Barra da Tijuca.

Em outro vídeo, o deputado parece ao lado de dois indivíduos fantasiados de Batman e de Capitão América. Além disso, o humorista Paulo Cintura que foi integrante da saudosa “Escolinha do Professor Raimundo” de Chico Anysio na TV Globo, também esteve no evento para prestigiar Bolsonaro.

Quando esteve com Paulo Cintura em cima do carro de som, o deputado fez dez flexões diante do público que alegremente fez a contagem das flexões.

Mas nem tudo é alegria para Bolsonaro

O Conselho de Ética da #Câmara dos Deputados instaurou no último dia 28 de junho um processo contra o deputado que poderá levar a cassação de seu mandato. A cassação poderá ocorrer se o Conselho entender que houve apologia à tortura na declaração dada pelo deputado durante o seu discurso na votação realizada no dia 17 de abril no processo de #Impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

Publicidade

Na oportunidade, o deputado ofereceu seu voto ao coronel da ditadura militar Carlos Alberto Brilhante Ustra, dizendo que o coronel era o “pavor de Dilma”.

Bolsonaro também é réu no Supremo Tribunal Federal após acolhimento de denúncia que envolveu a deputada Maria do Rosário (PT-RS). Na oportunidade durante uma discussão, Bolsonaro disse que “a deputada não merecia ser estuprada”.

  #Justiça