Após ter perdido a votação no Conselho de Ética, O deputado #Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nesta quinta-feira (07), renunciou ao cargo de presidente da #Câmara dos Deputados.

No discurso para a imprensa, Cunha leu a carta de sua renúncia. Logo no início, fez menção à religião, desejando que "Deus abençoe a nação". E, emocionado, falou que está “pagando um alto preço”, por ter afastado do país uma presidência “ criminosa e desastrada”, referindo-se ao impeachment da Presidente Dilma Rousseff.

O Deputado Jean Wyllys (Psol), através de um vídeo em suas redes sociais, o chamou de ator de “péssima categoria”, o acusou de ter apelado para o sentimento dos brasileiros em torno da família, e falou que seu choro foi "trágico" .

Publicidade
Publicidade

O político destacou que Eduardo Cunha renunciou à presidência da Casa, como tentativa de salvá-lo do processo de cassação.

Também emocionado, o peemedebista falou que nem mesmo sua família vem sendo poupada. E o deputado do Psol afirma que tudo passou de encenação, e que tanto a mulher de Cunha, Claudia Cruz,  como sua filha não são “inocentes” e ambas se beneficiavam dos esquemas de corrupção dos quais ele está sendo acusado.

Jean afirma que, na leitura da carta de renúncia, em nenhum momento o ex-presidente da câmara falou dos processos instaurados contra ele. O acusou de fazer-se de vítima, mantendo seu discurso amparado no afastamento do Partido dos Trabalhadores (PT) da presidência, apelando aos antipetistas.

O ex-BBB ainda disse que acredita que pessoas como Eduardo Cunha são "sociopatas por achar que somos idiotas". Afirmou que, mesmo afastado, o peemedebista ainda “custa caro para os cofres públicos”.

Publicidade

Citando o encontro de Cunha com Temer, ele afirmou que a real intenção é que eles consigam manter o governo do presidente interino, ao qual chamou de “golpista”.  

Assista ao Vídeo:

 

A leitura da carta da renúncia de Eduardo Cunha

O deputado afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), leu para imprensa, hoje (07), no início da tarde, carta entregue à Secretaria-geral da Mesa, onde anuncia a renúncia do cargo de presidente da Câmara dos Deputados.

Ele diz que completa 17 meses de mandato de presidente e que está há 2 meses afastado do cargo e que, cedendo a apelos de seus aliados, resolveu renunciar.

“Somente a minha renúncia poderá pôr fim a essa interinidade sem prazo”, disse o parlamentar ao afirmar que a Câmara está acéfala.

Ele ainda faz um comparativo de datas dos movimentos do impeachment e acusações a ele instauradas, e afirmou que está sendo perseguido.

Ao despedir-se, ele falou que a "história fará Justiça ao ato de coragem que teve a Câmara dos Deputados sob o seu comando de abrir o processo de impeachment que culminou com o afastamento da Presidente".

Publicidade

Assista ao vídeo:

Sobre a eleição para novo presidente da Câmara

O líder do PTB, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), anunciou a eleição para decidir quem será o novo presidente da Câmara.

Decidida por líderes que representam 280 deputados, a votação irá ocorrer nesta próxima terça-feira (12).

Até as 20 horas desta quinta-feira, somente os deputados Fausto Pinato (PP-SP) e Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO) haviam registrado suas candidaturas à sucessão de Cunha. #Dentro da política